112 MIL SEM AULA: IBGE apura que Paraíba teve melhor índice que médica nacional durante pandemia

Cerca de 112 mil alunos de 6 a 29 anos não tiveram atividades escolares em agosto, na Paraíba, conforme dados da Pnad Covid-19, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nessa quarta-feira (23). O número de estudantes paraibanos sem aulas foi menor do que o registrado em julho, quando 144 mil alunos estavam sem atividades.

A Paraíba teve o índice melhor do que os verificados na média do Brasil (16,6%) e na do Nordeste (23,1%). No mesmo mês, 86,8%, que equivale a 809 mil dos estudantes, tiveram atividades no estado, indicando alta em relação ao constatado no mês de julho (80,9%). Outros 12 mil, que representam 1,2%, estavam de férias.

A disponibilização de atividades foi mais comum entre aqueles que estão no ensino fundamental (90,5%) e no ensino médio (87,8%), enquanto entre os alunos do nível superior o percentual foi de 73%.

A pesquisa indica ainda que o acesso às atividades teve maior abrangência entre estudantes que têm rendimento domiciliar per capita de quatro salários-mínimos ou mais (98,5%), ao passo que esse alcance foi menor entre os que têm esse valor variando de um a menos de dois salários-mínimos (84,9%) ou inferior a meio salário (85,7%).

Em relação à frequência das atividades (aulas online, deveres, estudo dirigido etc), o levantamento estima que, para a maior parte dos estudantes (70%), ela foi de 5 dias por semana, enquanto para 11,6% foi de três dias; quatro dias para 6,1%; dois dias para 3,9%; um dia para 2,5%; e, finalmente, seis ou sete dias para 2%.

Mostre mais
Fechar