Operação investiga prejuízo de R$ 35 milhões em furto de energia na PB

Energisa e Polícia Civil trabalham com 40 equipes em João Pessoa. Energia furtada em 2018 dava para abastecer João Pessoa por quatro meses.

Uma operação da Energisa e Polícia Civil foi deflagrada nesta terça-feira (5) para combater o crime de furto de energia, principalmente na Zona Sul de João Pessoa, em especial os bairros de Mangabeira e Bancários. Em 2018 foram mais de 169 GWh em energia desviada em decorrência do furto de energia na Paraíba, o que implica em mais de R$ 35 milhões em ICMS que o Governo deixa de arrecadar.

De acordo com a Energisa, a energia furtada em 2018 seria suficiente para abastecer os clientes residenciais de João Pessoa por um período de quatro meses.

A operação conta com a participação de mais de 40 equipes da fiscalização que vai verificar consumidores residenciais e comerciais. A importância do trabalho de combate a perdas é norteada pelos riscos que as ligações irregulares oferecem.

“Os gatos de energia comprometem a segurança da população e colocam muitas vidas em risco, além de prejudicar a qualidade da energia fornecida aos clientes pela concessionária”, disse Daniel Andrade, gerente do departamento de combate as perdas da Energisa.

O furto de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal, com pena de até quatro anos de prisão. Além disso, parte do valor furtado é repassado para a tarifa da conta de energia.

Além do processo criminal, as pessoas autuadas terão que arcar com o pagamento de toda a energia desviada durante o período da irregularidade, conforme a resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Mostre mais
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios