Jornalistas são retidos em palácio presidencial venezuelano por ordem de Maduro, diz emissora

Seis integrantes de uma equipe da Univision Noticias ficaram retidos no Palácio Miraflores, sede da presidência da Venezuela, na tarde desta segunda-feira (25). Segundo a emissora, a maior rede de televisão hispânica dos Estados Unidos, a ordem partiu de Nicolás Maduro.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Imprensa da Venezuela comunicou que eles foram liberados pouco mais de uma hora depois. O equipamento e a gravação não foram devolvidos.

Em uma nota em seu site, a emissora de TV diz que o presidente estava sendo entrevistado pelo jornalista Jorge Ramos, mas não gostou do teor de algumas das perguntas. Ele então interrompeu a gravação, mandou confiscar o equipamento e deter os profissionais.

De acordo com a Univision Noticias foram detidos María Martínez, Claudia Rondón, Francisco Urreiztieta, Juan Carlos Guzmán, Martín Guzmán e Jorge Ramos.

Em 2015, Ramos teve problemas com Donald Trump, sendo expulso de uma entrevista coletiva com o então pré-candidato à presidência dos EUA.

Ramos, que já tinha entrado em choque com Trump sobre temas como imigração e deportação, se levantou para fazer uma pergunta e foi ignorado pelo magnata, que cedeu a palavra a outro jornalista. Ele insistiu e Trump se irritou: “desculpe-me, mas o senhor não foi chamado, sente-se”.

Seis integrantes de uma equipe da Univision Noticias ficaram retidos no Palácio Miraflores, sede da presidência da Venezuela, na tarde desta segunda-feira (25). Segundo a emissora, a maior rede de televisão hispânica dos Estados Unidos, a ordem partiu de Nicolás Maduro.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Imprensa da Venezuela comunicou que eles foram liberados pouco mais de uma hora depois. O equipamento e a gravação não foram devolvidos.

Em uma nota em seu site, a emissora de TV diz que o presidente estava sendo entrevistado pelo jornalista Jorge Ramos, mas não gostou do teor de algumas das perguntas. Ele então interrompeu a gravação, mandou confiscar o equipamento e deter os profissionais.

De acordo com a Univision Noticias foram detidos María Martínez, Claudia Rondón, Francisco Urreiztieta, Juan Carlos Guzmán, Martín Guzmán e Jorge Ramos.

Em 2015, Ramos teve problemas com Donald Trump, sendo expulso de uma entrevista coletiva com o então pré-candidato à presidência dos EUA.

Ramos, que já tinha entrado em choque com Trump sobre temas como imigração e deportação, se levantou para fazer uma pergunta e foi ignorado pelo magnata, que cedeu a palavra a outro jornalista. Ele insistiu e Trump se irritou: “desculpe-me, mas o senhor não foi chamado, sente-se”.

Representantes do Grupo de Lima pediram nesta segunda-feira (25) soluções pacíficas para a crise humanitária na Venezuela. Em reunião em Bogotá, capital da Colômbia, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, reforçou apoio ao autoproclamado presidente interino venezuelano, Juan Guaidó, e prometeu novas sanções ao regime de Nicolás Maduro.

No encontro, os países integrantes do Grupo de Lima aceitaram a Venezuela – representada por Guaidó – como novo membro da associação. Entre os participantes da cúpula, estava o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão.

O Grupo também pediu que o Tribunal Penal Internacional “leve em consideração a grave situação humanitária na Venezuela, a violência criminosa do regime de Nicolás Maduro contra civis e negação de acesso a assistência internacional, que constituem um crime contra a humanidade”, segundo uma declaração lida pelo chanceler colombiano, Carlos Holmes Trujillo.

 

Fonte: G1

Mostre mais
Fechar