Padre brasileiro é excomungado após ser acusado de estuprar 11 ex-freiras

O Vaticano investigou o caso e considerou o brasileiro culpado, não dando a ele uma segunda chance de continuar na igreja.

Na última quarta-feira (20), o padre brasileiro Jean Rogers, foi excomungado pelo líder máximo da Igreja Católica Papa Francisco. Essa é a mais alta condenação dada pela igreja, e Jean passa a ser proibido de realizar as atividades de sacerdote, como missas e realizar o batismo.

Depois dessa decisão, qualquer ato religioso que ele comande como casamentos, primeira comunhão, e outros, passa a ser visto como crime.

A atitude do Papa se deu após o padre goiano ser acusado de estupro por algumas freiras. O Vaticano investigou o caso e considerou o brasileiro culpado, não dando a ele uma segunda chance de continuar na igreja.

Jean Rogers Rodrigo de Sousa, conhecido como padre Rodrigo Maria, é acusado de estuprar pelo menos 11 ex-freiras e de “lavagem cerebral”. Antes de ser excomungado, o padre brasileiro havia sido transferido para a Diocese de Ciudad del Este, no Paraguai.

Veja um vídeo com a atuação do Padre antes da excomunhão:

O caso do brasileiro não é o único, inúmeros padres no mundo inteiro são acusados de pedofilia. Alguns casos viraram até filme por conta da omissão da igreja no passado levando o líder religioso a pedir perdão publicamente. Agora o papa Francisco tenta conter as acusações contra a igreja.

eclaração do Bispo sobre o estado do Padre Rodrigo Maria

NOTÍCIAS DA IGREJA

Declaração do Bispo sobre o estado do Padre Rodrigo Maria.

“Declaramos ao público que o presbítero Jean Rogers Rodrigo de Souza, pertencente à esta diocese, não possui permissões ordinárias para exercer o ministério sacerdotal. Ademais, não tem permissão de publicar na Internet. Só pode exercer um ministério sacerdotal restringido unicamente dentro de nossa Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Kakueté.”
Fonte: O Fuxico gospel
Mostre mais
Fechar