Senador do PSL diz que tragédia em Suzano seria evitada se professores estivessem armados

Ainda pensando que ambos eram menores, o senador criticou a maioridade penal, que hoje é de 18 anos.

Para o senadorMajor Olímpio (PSL-SP), líder do partido, as mortes no ataque a tiros a um colégio em Suzano, na Grande São Paulo, poderiam ter sido evitadas se um professor ou policial aposentado estivesse armado dentro da escola.

Se houvesse um cidadão com uma arma regular dentro da escola, professor, um servente ou policial aposentado que trabalha lá, ele poderia ter minimizado o tamanho da tragédia — disse, em discurso na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na manhã desta quarta-feira.

Os atiradores tinham 25 e 17 anos. Ainda pensando que ambos eram menores, o senador criticou a maioridade penal, que hoje é de 18 anos. Menores não são punidos com pena de prisão, mas são encaminhados a unidades de internação.

— Episódios dessa natureza têm de ser enfrentados, sim. Mas, se há arma neste país hoje na quantidade que se quer, o menor é o 007, tem licença para matar — disse Major Olímpio.

O senador criticou, também, quem associou as mortes no atentado na escola em Suzano ao decreto de Bolsonaro que expandiu o direito à posse de armas.

— O decreto do Bolsonaro simplesmente garantiu posse legítima, não é nem porte, o porte nós vamos votar depois, é a segunda etapa em relação a isso que foi tirado do direito de defesa do cidadão. E a população quer isso mesmo, e a população botou o Bolsonaro como Presidente da República para ser um impulsionador de garantias para o cidadão

Mostre mais
Fechar