QUASE UMA BLACK BLOC: Ex primeira dama pode ser indiciada por depredar patrimônio público durante noite de revolta na Granja do Governador

Um black bloc é um tipo de manifestante que tem como principal característica as roupas pretas e a ocasional depredação de propriedades públicas e privadas. Para ex primeira dama do estado, a jornalista Pâmela Bório, falta só o figurino para completar o quadro.

De acordo com o advogado Sheyner Asfora, que representa o  governador Ricardo Coutinho, um inquérito policial foi instaurado e a perícia técnica realizada na Granja Santana após o caso envolvendo a  ex-primeira dama Pamela Bório. Ela usou como meio de “protesto” derrubar um portão e parte de um amurado da propriedade.

“O próximo passo da polícia judiciária será o de intimar a jornalista Pâmela Bório para ser interrogada, qualificada e indiciada pelo crime de dano qualificado, art. 163, inc. III do Código Penal: destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia: dano qualificado”, disse.

O artigo especifica o crime se cometido “contra o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista”.

Dentre os sofisticados figurinos da ex primeira dama, teria um “pretinho básico” para fechar o quadro black bloc?

ENTENDA O CASO

Asfora expô entre outros fatos registrados em Boletim de Ocorrência, a invasão da Granja Santana derrubando o portão pela jornalista Pâmela Bório, durante a noite.

Segundo a Nota, a jornalista não havia cumprido decisão judicial de levar seu filho na escola e escolinha de futebol, pois estava em Campina Grande com Jair Bolsonaro, e assim o filho estava na casa do pai.

Mostre mais
Fechar