Caoa poderá ‘palpitar’ no desenho dos próximos carros da Chery

Parceria entre empresa brasileira e fabricante chinesa também prevê maior participação da engenharia local. Objetivo da marca é quase dobrar rede de concessionárias até o fim do ano.

Desde que teve metade de sua operação brasileira comprada pela Caoa no fim ade 2017, a Chery sofreu uma profunda transformação no país.

Em pouco mais de um ano, foram 4 lançamentos – sendo 3 SUVs, além de um forte trabalho para mudar a imagem da marca diante do público.

Só que os planos da fabricante – que agora se chama Caoa Chery, são bem mais ambiciosos. O objetivo é chegar ao top 10 de vendas no país até 2022. Para isso, foram traçadas algumas estratégias.

Durante o Salão de Xangai, executivos brasileiros e chineses da empresa sobre os próximos passos da parceria. Além do aumento na produção, os planos incluem expansão da rede de concessionárias e maior participação na criação de novos modelos.

De acordo com Marcio Alfonso, presidente da Caoa Chery, a cooperação entre a filial brasileira e a matriz chinesa deve ser intensificada nos próximos anos.

E isso deve ser visto desde a concepção de novos projetos.

“A próxima fase [da parceria] vai valer desde o desenho dos carros. As demandas dos clientes são diferentes”, disse Alfonso. Isso quer dizer que a Caoa poderá “palpitar” para que o visual dos modelos atenda ao gosto dos clientes brasileiros.

O objetivo também é reforçar a equipe de pesquisa e desenvolvimento no Brasil. Com novos investimentos (valores não foram divulgados), o time local deve crescer. Atualmente são 105 engenheiros (a empresa também não falou quantos serão contratados).

Mostre mais
Fechar