Da Lamborghini para o presídio de segurança média; confira as novas celas de Leto Viana e Roberto Santiago

A Secretaria de Administração Penitenciária disse à imprensa que o local foi reformado para receber os presos e o espaço é adequado para comportar todos.

Os dois estão na lista de presos atingidos pela Portaria nº 02/2019, assinada pelo juiz da Justiça Militar do Tribunal de Justiça da Paraíba, Eslú Eloy Filho. Ao menos 25 presos civis segregados no 1º e 5º Batalhões da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros devem ser transferidos para presídios comuns da Capital. O prazo para que a transferência ocorresse era de dez dias, mas chegou a ser prorrogado e foi encerrado ontem (18).

A Secretaria de Administração Penitenciária disse á imprensa que o local foi reformado para receber os presos e o espaço é adequado para comportar todos. Porém, a Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB-PB) disse que o ambiente é inadequado e tem precariedades. Entre os presos, há também advogados.

A primeira fase da Operação Xeque-Mate aconteceu no dia 3 de abril do ano passado, após a Justiça decretar o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos. O prefeito, Leto Viana; o presidente da Câmara Municipal, Lúcio José; e os vereadores Jacqueline Monteiro (esposa de Leto), Tércio Dornelas, Júnior Datele e Antônio do Vale foram presos. Apesar de não ter sido detido, o vice de Leto Viana, Flávio de Oliveira, também foi afastado da gestão.

Mostre mais
Fechar