META DE R$2.300: Paraibano realiza vaquinha virtual para estudar na USP

“A minha geração é o futuro do Brasil e do mundo. Como podemos ter um mundo melhor, com novas tecnologias que curem o câncer, a AIDS, o diabetes, que diminuam a pobreza se não o básico, a educação? O principal meio de mudar uma comunidade é através da educação, seja ela qual for”, disse o estudante paraibano Jhordan Santiago.

O jovem de 16 anos é natural de Campina Grande, no Agreste da Paraíba, e está no 3° ano do Ensino Médio com bolsa integral em um colégio particular de referência no estado. Como um bom aspirante da ciência, Jhordan foi um dos 30 selecionados em todo o país para participar da Escola de Física Contemporânea (EFC), um curso de inverno que acontece no Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo (USP).

Para realizar o sonho de ver a oportunidade de estudar na USP se concretizar, o paraibano decidiu fazer uma vaquinha online através do site ‘Vakinha’. Ele contou que pertence a uma família humilde, com poucas chances de estudo, na qual a maioria nem sequer terminou o ensino médio.

O pai de Jhordan é mecânico e a mãe é agente de saúde. Segundo o rapaz, os dois sempre o incentivaram aos estudos e fizeram dele o jovem capacitado que é hoje. “E é por isso que eu fiz essa vaquinha, para mudar o paradigma de que o jovem de baixa renda e nordestino não possa alcançar grandes sonhos”, colocou.

A programação das aulas inclui aulas expositivas e experimentais, ministradas por professores da USP que abordam tópicos de Física Clássica e Física Moderna, com palestras sobre temas atuais de Física, visitas monitoradas às oficinas e aos laboratórios de ensino e pesquisas do IFSC. As atividades se estendem pelo período de sete dias durante os dias 30 de junho e seis de julho de 2019.

Premiações

Jhordan já ganhou medalha de prata na Olimpíada Paraibana de Química, por dois anos consecutivos, 2017 e 2018, também conquistou o Prêmio Inovação Científica 2017, de Campina Grande. Ele ainda foi aprovado para a fase final da Competição Internacional de Astronomia e Astrofísica e chegou em segundas fases de outras duas competições, a Olimpíada Brasileira de Economia e Olimpíada Paraibana de Informática.

Sobre o caminho percorrido até o momento, para realizar conquistas na área da educação, o jovem destaca que não foi fácil. “Desde os 11 anos que eu penso em fazer intercâmbio, venho sempre buscando oportunidades que vão além da sala de aula… seja através de olimpíadas científicas, em que, até aonde me consta, fui o único paraibano a ser classificado para a última fase da IAAC, uma competição Mundial de Astrofísica, ou ao traduzir artigos científicos para o português para a democratização do conhecimento”.

Ele ainda contou que pretende fazer bacharelado em física no Brasil ou na Europa, e posteriormente alcançar um doutorado em física teórica. “Quero ser pesquisador, ajudar as pessoas, e claro, trazer mais desenvolvimento social para o Brasil. Um cientista é ser bem mais que trabalhar no laboratório, pensando em coisas fora da realidade, mas trazendo melhorias na vida das pessoas”. destacou.

Jovem segura certificado de premiação na solenidade de premiação da OPBQ, em 2017, no auditório da UEPB (Foto: arquivo pessoal)

Meta

Para realizar contribuições e saber mais sobre Jhrodan Santiago, basta que os interessados acessem a página do jovem no site ‘Vakinha’, o valor total colocado como meta para Jhordan estudar na USP é de R$ 2.265, dividido entre os custos de passagem aérea de Campina Grande para Guarulhos, que custa em média R$ 1.750, o valor de inscrição no curso, R$ 400, e a taxa de envio dos documentos via Sedex para a escola, um custo de R$ 115.

Para quem preferir realizar a contribuição através de depósito bancário, é preciso depositar em conta poupança no nome da mãe do jovem, Lidiana Tavares Santiago, através da Caixa Econômica Federal. Os números para o processo são da agência 0041, operação 013 e da conta 10955-5.

“A importância dessas oportunidades pra mim não reside apenas no fato de eu próprio estar precisando, mas sim porque a Educação e a Ciência têm um papel transformador, inclusive na minha comunidade. Como disse Gandhi, seja a mudança que você quer ver no mundo,” finalizou Jhordan.

Mostre mais
Fechar