FOGUEIRA APAGADA E BOLSO VAZIO: Enquanto algumas cidades comemoram impulso econômico da festa de São João, Patos contabiliza prejuízos

O São João passou. Sem se desfazer de São Pedro, que ainda está por vir, mas o principal santo do mês de junho trouxe nas suas festas muito desenvolvimento para as cidades do interior.

Enquanto Bananeiras, as cidades do Vale do Piancó, Campina Grande e outras, contabilizam o sucesso das festas e o impulso gerado na economia municipal, Patos contabilizou apenas prejuízo. A não realização da festa na cidade de Patos atingiu comerciantes, taxistas, setor hoteleiro e muitas famílias que aproveitariam o aumento no movimento da cidade para reforçar o orçamento doméstico.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Taxistas, Marcos Antônio, houve uma queda de 60% no faturamento em comparação ao mesmo período do ano passado. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Patos, João Batista, também confirmou que 2019 foi o pior ano das últimas décadas para o setor.

O prefeito Sales Júnior (PRB) resolveu cancelar a tradicional festa de São João após constatar “falta de recursos” e manteve o São João apenas com quadrilhas e programação cultural com atrações regionais.

Sales havia anunciado a programação da festa em abril e contava com atrações como Mano Walter, Xand Avião, Márcia Fellipe e Matheus & Kauan. O anúncio cancelando as atrações foi feito em maio e pegou alguns comerciantes de surpresa, pois prevendo o grande fluxo de pessoas, compraram insumos em grande quantidade.

 

Mostre mais
Fechar