Toyota investirá R$ 1 bi para fabricar novo SUV compacto no Brasil

A Toyota anunciou hoje (19) que investirá R$ 1 bilhão em sua fábrica de Sorocaba (SP) para produzir um novo modelo, com comercialização prevista para 2021.

A marca foi evasiva e não revelou nenhum detalhe sobre o futuro projeto, mas UOL Carros apurou que a novidade é um SUV compacto, derivado de um conceito de baixo custo da Daihatsu (marca pertencente à Toyota), e que a fabricação começa em março de 2021.

Mesmo durante o anuncio do investimento, realizado na sede mundial da empresa, no Japão, a direção executiva da Toyota se negou a dar qualquer informação sobre o novo modelo.

“O que eu posso dizer é que, seguindo a filosofia da Toyota, temos projetos globais e, a partir daí, desenvolvemos para o mercado local”, afirmou Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil.

No entanto, fontes ligadas à montadora confirmaram que o carro que será fabricado em Sorocaba é o mesmo utilitário esportivo compacto que a fabricante lançará no Japão, em novembro, durante o Salão de Tóquio.

As fontes consultadas pela reportagem, no Brasil e no Japão, confirmaram que o futuro carro brasileiro foi desenvolvido a partir deste projeto, com os devidos ajustes para nosso mercado.

Ainda de acordo com nossas fontes, o novo SUV compacto que será produzido no interior de São Paulo terá uma versão 1.8 híbrida flex (como o novo Corolla) e o câmbio CVT da marca. A nova geração do sedã é feita em Indaiatuba (SP) e foi lançada no mês passado.

Para entender melhor como será o novo SUV compacto brasileiro, basta olhar para o protótipo DN Trec, apresentado pela também japonesa Daihatsu, no Salão de Tóquio de 2017. Na realidade, dois veículos nascerão a partir deste conceito: o Toyota que chega ao mercado japonês em novembro (ainda em pré-venda) e um “irmão” fabricado pela própria Daihatsu – marca comprada pela Toyota em 2016.

O modelo a ser feiro em Sorocaba (SP) não herdará apenas o design do conceito, e também a plataforma DNGA, voltada para compactos. Ela é uma variante de baixo custo da carroceria modular TNGA, usada nos novos Corolla e Prius. Esta base não só está apta a receber a propulsão híbrida como é a mesma da nova geração do hatch Yaris – diferente do modelo vendido atualmente no mercado brasileiro.

Embora os japoneses escondam o jogo, faria sentido introduzir com este investimento a partir de um novo modelo que utiliza essa plataforma. Isso permitiria ir adaptando a fábrica para, em alguns anos, trocar a geração do Yaris, que também é feito em Sorocaba.

A revelação do novo Yaris é esperada para o Salão de Tóquio deste ano e deve chegar ao mercado no ano que vem.

Companheiro de planta, o atual Yaris deve “emprestar” boa parte da arquitetura interna e do acabamento para o novo SUV compacto. A informação foi confirmada à reportagem por fornecedores da Toyota, que já se preparam para o início da produção do novo modelo em março de 2021. O utilitário também pode contar com versões equipadas com o motor 1.5 flex do hatch.

O protótipo DN Trec tem 3,98 metros de comprimento, 1,69 m de largura e 1,60 m de altura, o que deve ser mantido no modelo final japonês, segundo a imprensa local. Contudo, ainda não está claro se o veículo brasileiro terá alguma alteração nas medidas.

Um dos futuros rivais do modelo no país, o Honda HR-V, tem 4,30 metros de comprimento. A Volkswagen, por exemplo, aumentou o tamanho do T-Cross para o Brasil: enquanto o SUV brasileiro tem 4,19 metros de comprimento, o “irmão” europeu mede 4,11 metros. A distância entre eixos do modelo nacional é quase 9 cm maior do que o T-Cross europeu.

Atrasada na competição dos SUVs

A Toyota precisa correr atrás do tempo perdido, já que perdeu o “trem da alegria” dos SUVs compactos no Brasil. Embora tenha lançado neste mês a nova geração do Corolla (um sucesso incontestável de vendas), a marca não tem um produto para competir no segmento que mais cresce no país.

Além de HR-V, brigam com força nesta categoria modelos como Jeep Renegade, Hyundai Creta, Nissan Kicks, Renault Captur e Ford EcoSport.

A montadora cogitou importar o C-HR para cá em 2017, de porte semelhante e feito na Turquia, enquanto não iniciava a produção local de um SUV compacto. No entanto, a conta não fechou e, com a previsão de um preço muito elevado para o carro, o plano acabou descartado. No fim das contas, as unidades trazidas para o Brasil para testes viraram “mulas” para o desenvolvimento do novo Corolla.

O novo modelo representará, enfim, a entrada da Toyota no segmento.

Investimento abrirá 300 vagas de emprego

A Toyota afirmou que o investimento na fábrica de Sorocaba, que, além do Yaris, também faz o Etios, prevê a contratação de 300 pessoas. A fabricante não detalhou as áreas nem as datas das contratações.

O valor é o mesmo investido em Indaiatuba (SP) para a fabricação do novo Corolla. O montante, porém, ainda não atende a quantidade mínima de cargos (400) para aderir ao programa IncentivAuto, do governo de São Paulo, que concede redução de impostos. Caso a montadora passe deste número de contratações, ela estaria automaticamente dentro do programa.

Participaram do anúncio Masahiro Inoue, CEO da Toyota para a América Latina e Caribe, Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil, e o governador João Doria.

Com informações do UOL

Mostre mais
Fechar