R$ 14 MILHÕES: Câmara antecipa fim do recesso para abrir CPI que vai investigar contratos do Conde com Limpmax

A Câmara do Conde antecipou o fim do recesso para abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) – que já ficou conhecida como “CPI do Lixo” – com o objetivo de investigar possíveis irregularidades em contratos da prefeitura com a empresa LimpMax, que administra os serviços de coleta de lixo na cidade. A primeira sessão da Casa estava prevista para acontecer somente no dia 20 de fevereiro, mas, a pedido do presidente Manga Rosa, os parlamentares decidiram voltar antes.

De acordo com o sistema de transparência do Tribunal de Contas da Paraíba, o sagres, a gestão de Márcia Lucena já pagou, entre 2017 e 2019, R$ 14 milhões à empresa que está sendo acusada de superfaturar contratos públicos pela operação Calvário. Veja:

A empresa também causou revolta na cidade ao estabelecer um aumento abusivo na cobrança da Taxa de Coleta de Resíduos (TCR). Diante da pressão pública, Márcia Lucena cedeu e voltou atrás no aumento. A questão chegou a ser debatida em uma Audiência Pública em 24/07/2019, na Câmara Municipal de Conde que na ocasião o Corretor  de Imóveis Márcio Simões, trouxe várias possíveis irregularidades apontadas pela Gestão Municipal em relação as cobranças de taxas e IPTU.

 

Da redação com informações do Canal do Povo

 

 

Mostre mais
Fechar