Ao Estadão, João diz que movimento dos policiais na PB teve conotação política

O governador João Azevêdo (Cidadania) afirmou que se cedesse ao movimento grevista das forças policiais paraibanas, ficaria sem dinheiro para a folha de pagamento de todos os servidores do Estado e seria obrigado a descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e a interromper serviços e obras. A declaração foi dada ao jornal Estado de S. Paulo.

Para ele, “deputados bolsonaristas que querem o caos” tiraram proveito da situação para conseguir se aparecer eleitoralmente, visto que 2020 é ano de eleição.

Na última quarta-feira (19), uma liminar do desembargador Leandro dos Santos, do Tribunal de Justiça da Paraíba, declarou ilegal qualquer movimento de paralisação dos PMs e agendou para quarta-feira (26) uma reunião de conciliação entre o governo do Estado e as entidades de Segurança. Veja a matéria do Estadão:

 

Mostre mais
Fechar