28 DIAS DE RISCO: Nova pesquisa revela que coronavírus sobrevive em notas de dinheiro e telas de celulares por muito tempo

O vírus responsável pela Covid-19 pode sobreviver em notas de dinheiro, telas de celulares e aço inoxidável por até 28 dias, segundo um estudo divulgado pela agência científica nacional da Austrália (CSIRO).

A descoberta sugere que o SARS-CoV-2 pode permanecer em superfícies por muito mais tempo do que se pensava. O estudo foi publicado na revista científica “Virology Journal”.

Os pesquisadores descobriram que, a 20 graus Celsius (aproximadamente a temperatura ambiente), o vírus SARS-CoV-2 permanece infeccioso por 28 dias em superfícies lisas, como vidro de telas de celulares e cartões plásticos.

Outros experimentos foram realizados a 30 e 40 graus Celsius, com tempos de sobrevivência diminuindo com o aumento da temperatura.

“Nossos resultados mostram que o SARS-CoV-2 pode permanecer infeccioso em superfícies por longos períodos, reforçando a necessidade de boas práticas, como a lavagem regular das mãos e limpeza das superfícies”, alertou a diretora adjunta da Australian Centre for Disease Preparedness (ACDP) Debbie Eagles.

Os experimentos foram realizados no escuro, já que a luz ultravioleta já demonstrou matar o vírus. “Estabelecer por quanto tempo o vírus realmente permanece nas superfícies nos permite prever e mitigar sua disseminação com mais precisão, e fazer um trabalho melhor de proteger o nosso povo”, disse o presidente-executivo da CSIRO, Larry Marshall.

Mostre mais
Fechar