‘A fé em Deus me salvou’, afirma padre José Gilmar após ser resgatado

Após ser resgatado pela polícia no final da tarde desta sexta-feira (16) o padro José Gilmar Moreira pronunciou-se sobre os três dias de terror que ele viveu após ser sequestrado na última terça-feira (13) após celebrar uma missa de corpo presente. “Palavra de agradecimento a todos que me acompanharam em oração”, afirmou o padre que concluiu dizendo que a “fé em Deus havia lhe salvado”.

O religioso contou os momentos de aflição e desespero que passou nas mãos de três homens, que ele não conseguiu identificar. Ele relatou que foi abordado, quando ia para o velório, e levado para um local desconhecido no meio do mato. “Fui abandonado no mato e só consegui sair na quarta-feira (13)”, contou.

O pároco relatou que os bandidos amarraram suas mãos, colocaram um capuz na sua cabeça e que só foi liberado na quarta-feira, quando saiu caminhando pelo mato. A polícia encontrou o religioso na tarde desta sexta-feira (16) desorientado e caminhando às margens da PB-008, próximo a uma praia do Litoral Norte.

“Eram dois homens, mais o motorista. Fui abordado no carro da Paróquia, mas teve outro veículo que me levou até o local onde eu fui deixado. Não teve agressão física, só psicológica”, acrescentou Gilmar. A polícia localizou, mais cedo, o veículo que o padre dirigia, quando foi abordado pelos criminosos, um Fox cinza com placa QFP- 4874, da Paraíba abandonado, perto do restaurante Arca de Bilú.

Além de estar desorientado, o padre aparenta estar também um pouco desnutrido, pois passou quase três dias sem se alimentar e “matando” a sede apenas com água da chuva, relato feito pelo próprio religioso.

Mostre mais
Fechar