AMAZON DO BRASIL? Magalu faz aquisições e entra para bilionário mercado de publicidade online

O Magazine Luiza fez a aquisição de duas startups que vão redimensionar a empresa no mercado de publicidade online e impulsionar ainda mais uma das líderes do varejo brasileiro. Foram adquiridos a Unilogic Media Group, o site Canaltech, que é focado em reviews de aparelhos eletrônicos, além do setor de tecnologia e a equipe de desenvolvedores da InLoco Media, braço de publicidade da InLoco.

Com isso, a empresa caminha para digitalizar o varejo nacional e acelerar sua expansão, se projetando como um dos grandes polos de comércio mundial, como a Amazon e Alibaba, que movimentam bilhões em anúncios.

“Por meio do MagaluAds, será possível ampliar a divulgação de milhões de produtos disponíveis na plataforma do Magalu, além de monetizar a sua forte audiência”, disse a empresa em comunicado.

Ter o Canaltech como braço estratégico nessa empreitada é importante para gerar um fluxo de compras onde o consumidor procura por um determinado produto, encontra informações e reviews no site especializado e é encaminhado diretamente para a Magazine Luiza, por exemplo.

São mais de 24 milhões de usuários únicos por mês que visitam o portal e que poderão integrar os 60 milhões de usuários que compõem a audiência do grupo Magalu, incluindo a Netshoes e a Zattini – compradas há pouco mais de um ano. A estratégia é a mesma da Amazon, que usa o BuzzFeed para atrair compradores no mercado norte-americano.

Já na aquisição do braço de desenvolvimento da InLoco, a rede varejista amplia o MagaluAds, serviço oferecido como forma de monetizar o público da empresa. A ideia aqui é captar a atenção do cliente que possui o aplicativo da companhia, pesquisou por um determinado produto nos últimos dias e passou em frente a uma loja da rede. Neste momento, o aplicativo vai emitir um aviso com ofertas que podem ser encontradas naquela loja.

O mercado de publicidade online movimenta US$ 13 bilhões por ano na Amazon, enquanto o Alibaba recebe mais de US$ 30 bilhões, segundo o Brazil Journal.

Mostre mais
Fechar