Assessor paraibano e bolsonarista é acusado de comandar ‘milícia virtual’ durante trabalho

Os deputados federais Orlando Silva (PCdoB-SP) e Marcelo Freixo (PSOL-RJ) apresentaram uma denúncia à Comissão de Ética da Câmara contra Tércio Arnaud Thomaz, assessor do presidente Jair Bolsonaro que foi alvo de ação do Facebook.

A suspeita dos parlamentares é a de que Tercio operaria os perfis durante expediente no Palácio do Planalto.

A operação anunciada na quarta-feira (8) pelo Facebook, que derrubou uma rede de fake news e perfis falsos ligada ao clã Bolsonaro, cita Tércio Arnaud Thomaz como um dos principais responsáveis pela divulgação dos conteúdos de desinformação e discurso de ódio na rede social.

Especialistas da plataforma identificaram que ele é o responsável pela página Bolsonaro Opressor 2.0, com mais de 1 milhão de seguidores, e pela conta @bolsonaronewsss, no Instagram, com 492 mil seguidores e 11 mil posts.

O Facebook também anunciou a derrubada da rede ligada ao PSL e a funcionários dos gabinetes do presidente, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e dos deputados estaduais bolsonaristas Anderson Moraes (PSL-RJ) e Alana Passos (PSL-RJ).

Mostre mais
Fechar