Banco Central pode rever decisão e liberar pagamentos através do WhatsApp

Depois de proibir as operadoras de cartão Visa Mastercard de atuarem junto com o Facebook para viabilizar pagamentos pelo WhatsApp, o Banco Central do Brasil pode rever sua decisão.

Segundo informou ao Cointelegraph o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, o BC está buscando um caminho para liberação dos pagamentos no aplicativo da rede social.

Cathcart afirmou que o tema foi recentemente debatido em uma reunião com João Manoel Pinho de Mello, ​Diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC.

Além de Mello também participaram da reunião Eduardo Lopes, Diretor de Políticas Públicas, e Pablo Bello, Diretor de Políticas Públicas para Mensageria Privada na América Latina do Facebook/WhatsApp.

Banco Central vai liberar pagamentos pelo WhatsApp

Segundo Cathcart revelou ao Cointelegraph, a reunião foi positiva.

“Ontem nos reunimos com as autoridades do Banco Central e estamos animados em permitir que os brasileiros enviem pagamentos seguros e sem dinheiro físico no WhatsApp o mais breve possível. Isso é ainda mais crítico enquanto as pessoas estão isoladas e as empresas enfrentam sérios desafios econômicos devido ao COVID-19″, destacou.

O chefe do WhatsApp também destacou que a rede social vai trabalhar com as autoridades para que o serviço retorne o mais rápido possível.

“Trabalharemos em conjunto com nossos parceiros e as autoridades brasileiras para restaurar o serviço rapidamente”

Cathcart também destacou que o Banco Central vai liberar o serviço.

Porém, antes, vai conversar com as operadoras Visa e Mastercard para encontrar um caminho para que o serviço seja retomado.

“O Banco Central expressou sua intenção de encontrar um caminho com a Visa e a Mastercard para que o serviço prossiga, além de envolver outras autoridades para resolver quaisquer dúvidas pendentes”, disse.

Facebook vai aderir ao PIX

Cathcart destacou ainda o compromisso do Facebook em aderir ao PIX, o sistema de pagamentos que o BC vai lançar em novembro.

“O WhatsApp afirmou seu apoio a um modelo pró-competitivo e aberto para pagamentos e também seu compromisso em fornecer pagamentos via PIX tão logo o sistema esteja disponível”

Por outro lado o Banco Central, segundo Cathcart revelou que não tem nada contra o Facebook e que deseja “abraçar” a inovação.

“O Banco Central ressaltou que respalda plataformas como o WhatsApp que estão inovando em pagamentos digitais e criando novas maneiras de apoiar pessoas e pequenas empresas em todo o Brasil.” finalizou.

Banco Central

Em nota o Banco Central confirmou que  a suspensão dos pagamentos no WhatsApp não é definitiva e que o serviço pode ser restabelecido.

“A suspensão não é definitiva e não será definitiva. A concorrência faz bem, mas precisamos estabelecer critérios. Vamos conversar com as empresas e entender melhor o serviço ofertado. Apenas isso”, disse.

O Banco Central já havia recomendado adesão ao PIX.

Logo após o anúncio da rede social sobre seu sistema de pagamento o BC informou que acompanhava a iniciativa e que ela deveria ser integrada ao PIX ao invés de ser anunciada individualmente.

“O BC está acompanhando a iniciativa do WhatsApp e avalia que há grande potencial para sua integração ao PIX. Entretanto, o BC considera prematura qualquer iniciativa que possa gerar fragmentação de mercado e concentração em agentes específicos”, disse o BC.

 

Mostre mais
Fechar