Benedita da Silva sofre ataques racistas e é excluída da lista de personalidades da Fundação Palmares

Alvo de ataques racistas nas redes sociais, a deputada Benedita da Silva, candidata do PT à prefeitura do Rio de Janeiro, foi retirada da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares nesta quarta-feira (30) pelo bolsonarista Sérgio Camargo, que preside a instituição.

“O nome da deputada Benedita da Silva (PT) foi excluído da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares. Benedita responde pelo crime de improbidade administrativa e seus bens foram bloqueados pela Justiça. O preto, o pobre e o favelado são as maiores vítimas da corrupção”, tuitou Camargo sobre Benedita, que em 2015 foi acusada pelo Ministério Público por improbidade administrativa, que ainda não transitou em julgado.

Em nota, a equipe da candidata afirmou que “com 40 anos de vida pública, a deputada Benedita da Silva já foi vereadora, deputada, senadora, secretária, governadora e ministra, sem jamais ter sido condenada sequer em primeira instância”.

Em vídeo, Benedita chamou Camargo de “capitão do mato” que age a mando de Bolsonaro.

“Ainda hoje fui surpreendida por uma decisão arbitrária do capitão do mato que preside, a mando de Bolsonaro, a Fundação Palmares, que deveria preservar a memória e a cultura do povo negro, mas está fazendo o contrário. Depois de exluir Mandela,, da galeria de personalidades negras da Fundação, o capitão do mato retirou meu nome desta galeria”, diz Benedita.

“Mesmo não estando lá, eu continuo em boa companhia. Mas, o que ele fez é ilegal, é abuso de poder”, disse Benedita, dizendo que entrará na Justiça contra a ação de Camargo.

No vídeo, a petista diz ainda que os “ataques coordenados estão acontecendo desde domingo, com acusações infundadas e conteúdo racista”. “Mas eles não vão me calar e eu não vou recuar. Sou uma mulher forte e a luta nunca para”.

Mostre mais
Fechar