Brasileira é encontrada morta na casa do ex-namorado nos Estados Unidos

A servidora pública Leidianne Ferreira, de 34 anos, irmã de Lídia, contou que o corpo foi encontrado na terça-feira (22).

A família é natural de Edéia, a 120 km de Goiânia, mas reside em Caldas Novas, no sul do estado, há mais de 20 anos. Lídia se mudou para São Francisco, no estado da Califórnia, há dois anos e meio e trabalhava com limpeza de residências por aplicativo.

Uma amiga que morava com a jovem há um ano e preferiu não ser identificada relatou que ela saiu para trabalhar e não voltou. Preocupada, chamou a polícia e passou informações sobre o trabalho que foi fazer. Em buscas pela cidade, os policiais encontraram o carro da goiana estacionado em frente ao prédio onde o ex-namorado morava.

A amiga acredita que o homem abordou Lídia em algum ponto da cidade e a levou para o apartamento dele, onde ocorreu o crime. A polícia de São Francisco continua a investigar o caso, segundo a mulher.

“Ele ficou obcecado por ela. Mas, em nenhum momento, demonstrou agressividade e não fez ameaças contra ela. Mesmo assim, nós a aconselhamos a prestar queixa contra ele, por causa das perseguições.  Ela achou que não precisava no momento”, conta.

Tanto a amiga quanto um tio de Lídia estão juntando a documentação necessária para fazer o traslado do corpo para Caldas Novas, onde a família quer fazer o sepultamento.

Mostre mais
Fechar