CASO LÁZARO: Esposa de serial killer de Brasília diz que filha chama pelo pai todo dia e que marido é ‘pregador do evangelho’

A mulher de Lázaro Barbosa, suspeito de matar quatro pessoas de uma família no Distrito Federal, disse que teme pela notícia de que ele esteja morto e que queria tentar convencê-lo a se entregar. Ela ainda descartou qualquer envolvimento do companheiro com “rituais satânicos”, afirmando que ele é muito religioso: “Tinha fé em Deus”.

“Se a gente tivesse a oportunidade de ir com a polícia para o meio do mato para convencê-lo a se entregar. A gente não sabe o que aconteceu na mente e no coração dele. A ficha não caiu”, disse a mulher, que preferiu não se identificar, em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

Lázaro é procurado há mais de uma semana pela polícia de Goiás. Ele fez outra família refém durante a fuga, mas a polícia chegou a tempo de evitar que um casal e a filha fossem mortos. Desde sábado, mais de 200 agentes do Distrito Federal e de Goiás participam da força-tarefa para capturar o homem.

Sobre os boatos de que ele estaria possuído pelo demônio, ela disse não acreditar.

“Não acredito em nenhum ritual. Ele tinha uma fé em Deus muito grande, foi até pregador da palavra no presídio. Eu só vou acreditar que ele se envolveu mesmo nisso quando ele for pego e falar”, afirmou.

Na entrevista, ela revelou que está com Lázaro há quatro anos e que o casal de uma filha de 2 anos. Ele também é pai de um menino de 4 anos, filho dele com outra mulher.

“É um bebê que quase todos os dias chama por ele. Isso me corta tanto. Ela é muito apegada. É a vida dele. Está todo mundo arrasado”, contou.

O major Rio Branco, subchefe do centro de comunicação social da PMDF (Polícia Militar do Distrito Federal) falou em entrevista sobre as buscas por Lázaro. Ele destacou que entre as maiores dificuldades da operação está a grande familiaridade de Lázaro com a região, fazendo com que ele escape repetidamente dos “cercos” das forças de segurança.

Lázaro Sousa nasceu em 1988 e completará 33 anos em agosto. Ele é natural de Barra do Mendes (BA), a 530 quilômetros a oeste de Salvador, na região de Irecê.

O foragido da Justiça e é dono de uma extensa ficha criminal que inclui uma condenação por homicídio na Bahia; um mandado de prisão decorrente de uma condenação por estupro e roubo com arma de fogo em Brasília; além da suspeita de um ataque com golpes de machado na cabeça de idosos em Goiás. Ele já foi preso, mas fugiu.

Na semana passada, segundo a polícia, ele ampliou essa lista com o assassinato de quatro pessoas de uma mesma família na zona rural do Incra 9, no Distrito Federal, que gerou a caçada ao baiano.

 

Mostrar mais
Close