Cícero Lucena é empossado e adianta primeiras ações como prefeito de João Pessoa

Cícero Lucena (PP) tomou posse nesta sexta-feira (1º) como prefeito de João Pessoa, pela terceira vez, em cerimônia na Câmara Municipal. Ele volta a governar a capital paraibana 16 anos após a saída do cargo de prefeito, que ocupou entre 1997 e 2004.

Após fazer o juramento e assinar o livro de posse, assim como o vice-prefeito, Léo Bezerra (Cidadania), Cícero Lucena fez seu discurso como novo prefeito. Emocionado, ele disse que não tem como traduzir em palavras a emoção de voltar a comandar a cidade em um dos momentos mais difícil de sua história. “Caminhei pelos bairros, ouvi as pessoas e nas ruas encontrei esperança e na face da gente encontrei apoio, fé e obstinação”, comentou. “Estou aqui para cumprir essa missão”, completou.

Após a posse na Câmara Municipal, o prefeito Cícero Lucena segue para o Paço Municipal, onde participa da solenidade de transmissão de cargo, que será feito pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV).

Primeira ações

Cícero antecipou algumas das suas ações como prefeito, como a retomada das aulas presenciais e a criação de um comitê de enfrentamento à covid-19, com a participação da sociedade civil organizada. “Nossas ações serão sempre preservando a vida”, assegurou.

Também mencionou outras ações, boa parte promessas de campanha, que pretende cumprir, como implantação da telemedicina, volta da entrega do remédio em casa, a requalificação do Hospital Santa Izabel como referência em hemodiálise, ampliação da habitação popular e fomento ao turismo, por exemplo.

Cícero assume com a sua equipe de auxiliares praticamente toda formada. Desde que deu início ao processo de transição de governo com o grupo do prefeito Luciano Cartaxo (PV), ele fez uma série de rodadas de anúncio de indicação de secretários para sua futura gestão, a última delas nesta quinta-feira (31).

Aglomeração

A posse de Cícero ocorreu após uma extensa solenidade de posse e eleições das Mesas Diretoras da Câmara Municipal. Apesar da eleição do vereador Dinho (Avante) para o primeiro biênio (2021-2022) ter ocorrido sem embaraços, com a unanimidade dos votos dos colegas de parlamento, a eleição de Bruno Farias (Cidadania) para o segundo (2023-2024) foi marcada pela disputa interna de Mikika Leitão (MDB), que tentou manobrar na Justiça para evitar que ela ocorresse e depois deixou o plenário em uma segunda tentativa de obter êxito na empreitada.

Mostre mais
Fechar