Cinco hábitos que podem cancelar garantia do carro e você não sabe

A garantia de fábrica é um direito previsto no Código de Defesa do Consumidor, que determina cobertura contra vícios ou defeitos de fabricação pelo período mínimo de 90 dias após a compra de determinado produto.

No caso dos automóveis, o tempo de cobertura e os itens garantidos variam de acordo com a montadora e o modelo.

No Brasil, a maioria das fabricantes oferece três anos de proteção total, incluindo motor e câmbio, mas há algum tempo já existem marcas que disponibilizam cinco anos de garantia.

Todos os veículos novos trazem, juntamente com o manual do proprietário, o termo de garantia – detalhando em quais condições ela é oferecida.

O manual também aponta situações nas quais a cobertura não é concedida ou quando ela é total ou parcialmente anulada.

Não realizar as revisões programadas dentro da quilometragem ou do prazo estipulado é uma condição na qual a garantia deixa de valer.

Porém, há alguns hábitos ou práticas bastante comuns que invalidam o benefício e muitas pessoas pessoas desconhecem. Confira cinco exemplos.

1 – Funilaria fora da concessionária

Em caso de batida, é comum realizar o reparo do automóvel em uma oficina independente. Muitas seguradoras, inclusive, têm parceria com empresas do tipo.

Porém, essa prática, geralmente adotada para reduzir os custos do serviço, pode anular a garantia contra perfuração por corrosão.

O manual do Volkswagen Gol traz essa informação:

“A garantia contra perfuração por corrosão não terá validade para os veículos que forem direcionados para serviços em oficinas que não pertençam ao grupo de concessionárias Volkswagen”.

A montadora orienta, antes de contratar uma apólice de seguro, verificar a relação das oficinas credenciadas em caso de necessidade de reparo.

2 – Utilizar reboque

Tem veículos cujo manual orienta expressamente a não rebocar outros veículos, sob pena de suspensão da garantia contratual de fábrica.

O Honda HR-V, por exemplo, não pode ser utilizado para rebocar trailers.

“O seu veículo não foi feito para rebocar um trailer. O reboque de trailer cancelará a garantia do veículo”, alerta a fabricante.

Existem casos ainda mais extremos, nos quais a simples instalação de um engate de reboque resulta nessa penalidade.

A geração anterior do Toyota Corolla se enquadra nessa situação, por não contar com capacidade de rebocamento. Ou seja: se você visitar a oficina de concessionária da marca com o acessório instalado, a chance de perda da cobertura é grande.

“A Toyota reforça que, em veículos que não foram projetados para atividades de rebocamento, o acessório engate não deve ser instalado. A Toyota reforça que, além da perda da garantia do veículo, a simples instalação do acessório engate em veículos sem capacidade de carga é punida com aplicação de multa de trânsito e obrigação da imediata retirada do acessório, conforme legislação em vigor”, deixa claro o manual do sedã.

3 – Participar de qualquer tipo de competição

Se você costuma usar o carro em track days, mesmo que eventualmente, e posta as aceleradas nas redes sociais, saiba que isso pode servir como evidência para a fabricante suspender a respectiva garantia.

Participar de rachas em vias públicas, além de ser crime de trânsito, é algo que resulta na mesma penalização.

“A garantia do veículo estará automaticamente cancelada se o veículo for empregado em competições de qualquer espécie ou natureza”, enfatiza o livreto que acompanha o Ford Ka.

O manual do Citroën C4 Cactus faz alerta semelhante:

“Perderá o benefício da garantia contratual quando o veículo for utilizado de modo anormal ou para efeitos de competição ou se o veículo tiver sido submetido a uma sobrecarga, mesmo que passageira”.

4 – Instalar acessórios não homologados

O manual dos veículos diz expressamente que alterações nas características originais de fábrica levam à perda da garantia.

Ou seja: modificações para aumentar o desempenho, como instalar nova ECU (central eletrônica de gerenciamento do motor), retirar o catalisador e acrescentar turbo em um carro aspirado são práticas que cancelam a cobertura de fábrica.

Isso vale inclusive para acessórios não homologados pela montadora.

O manual do Chevrolet Tracker deixa isso bem claro: “Nunca modifique o veículo. Adicionar acessórios não certificados pela GM ou fazer modificações no veículo altera sua condição original e as especificações de fábrica, deteriora a funcionalidade e o desempenho de sistemas, afetando a segurança e a durabilidade, além de levar à perda da garantia”.

No caso do Hyundai HB20, o respectivo manual diz a mesma coisa: “Modificar os componentes cancelará automaticamente a sua Garantia Hyundai. O seu Hyundai não deve ser modificado, seja como for”.

5 – Tampa do tanque de combustível não original

No caso específico do Ford Ka, eventuais danos ao sistema de combustível podem levar à perda da garantia, caso a concessionária constate que estejam relacionados à instalação de tampa do tanque não original.

Veja o que diz o respectivo manual: “A garantia pode ser anulada por qualquer dano ao tanque de combustível ou sistema de combustível se não for utilizado uma tampa do tanque de combustível correto original Ford”.

A mesma coisa vale para o filtro de ar do motor: “: Deixar de usar o elemento de filtro de ar correto pode resultar em danos graves ao motor. A garantia poderá ser anulada por qualquer dano ao motor se o elemento de filtro de ar correto não for usado”.

Mostre mais
Fechar