COMPRA DE VOTOS: Ministério Público pede cassação de Luquinhas e Deuzinho em Marizópolis

O Ministério Público pediu a cassação do prefeito eleito de Marizópolis, Região de Sousa, Lucas Gonçalves Braga (PSDB), popularmente conhecido por Luquinha do Brasil, e do seu vice, José Francisco de Abreu (PSDB). Os dois são alvos de Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), acusados abuso de poder político e econômico e compra de votos na eleição de 2020.

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) foi assinada pelo promotor Manoel Pereira de Alencar, da 35ª Zona Eleitoral, a partir de denúncia de um cidadão que procurou o MP para informar, com prova de áudio, que ele e sua família receberam R$ 1.500 para votar na chapa de Luquinhas do Brasil.

Conforme o denunciante, em outubro deste ano Luquinha do Brasil juntamente com o então candidato a vereador também pelo PSDB, Jorgenaldo Martins, foram até sua residência no sítio Olho D’água, zona rural de Marizópolis, e lhes ofereceram a citada quantia em dinheiro.

A negociação com o vereador Jorgenaldo Martins foi gravada pelas vítimas como prova da transação ilegal.

Os atos ilícitos podem acarretar na cassação dos diplomas de Lucas Gonçalves Braga, José Francisco de Abreu e Jorgenaldo Martins, assim como, a cassação de seus mandatos.

Luquinha do Brasil venceu o pleito com 2.747 votos (53,91%) contra 2.349 (46,09%) de seu opositor, Jeferson Vieira (PDT). Jorgenaldo Martins, candidato a vereador pelo PSDB não se reelegeu e ficou na suplência com 176 votos.

Mostre mais
Fechar