COMUNICADORES À VENDA: Kajuru diz que Bolsonaro pagou apresentadores para defender governo

O senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) disse, durante depoimento do ex-secretário de comunicação do governo federal, Fabio Wajngarten, na CPI da Pandemia, na última quarta-feira (12), que tem conhecimento de que o o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pagou mais de R$ 900 mil para apresentadores de televisão defender o governo federal.

O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), perguntou a Fabio se a Secretaria de Comunicação (Secom) “promoveu alguma campanha a favor do distanciamento e do uso de máscara” durante 2020. A resposta do ex-integrante do governo Bolsonaro foi que eles contrataram o apresentador do SBT, Otávio Mesquita.

“Na primeira campanha, o apresentador Otávio Mesquita já falava de distanciamento e álcool”, declarou o ex-secretário, se referindo à campanha “Juntos Somos Mais Fortes”, lançada em março de 2020. Mesquita esteve ao lado de outras celebridades, como o também apresentador Sikêra Jr., Zezé di Camargo e o lutador Rodrigo Minotauro.

Renan, no entanto rebateu e disse que o apresentador teria sido contra o isolamento social durante boa parte da pandemia.

Presente de forma virtual no depoimento, o senador Kajuru ironizou o fato de Fabio chamar Mesquita de celebridade e questionou ao ex-secretário se outros apresentadores chegaram a receber mais de R$ 900 mil para merchandising de 30 segundos defendendo o governo federal.

Fábio, então, não negou e apenas respondeu que “em nenhum momento trata-se de defender o governo. Se trata de emular uma mensagem para informar a população”.

Mostre mais
Fechar