‘CONTRA FOCINHEIRA IDEOLÓGICA’: Médico dá atestado para deputado bolsonarista entrar sem máscara em aeroporto

O médico bolsonarista mineiro Sérgio Marcussi, ginecologista e especialista em estética, diz estar fazendo atestados para pessoas que se recusam a usar máscaras para diminuir a disseminação do novo coronavírus. O item de segurança é recomendado por autoridades sanitárias.

Um apoiador de sua prática e que também a usou, o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), fez a “propaganda” no Twitter e afirmou que, com o documento, conseguiu ficar sem máscara no aeroporto. “Agora no aeroporto, entrei sem máscara e fui abordado uma vez. Expliquei que estou respaldado pela lei 14.019/20 art 3° §7°, com licença médica que me garante o não uso e continuei a missão. Essa focinheira ideológica tem que ser combatida”. Silveira é um dos políticos que quebrou a placa de rua em homenagem a Marielle Franco durante a campanha de 2018.

Marcussi retuitou a mensagem e escreveu: “A luta diária! Hoje fiz 20 atestados desses. Vamos disseminando”.

Depois, o próprio Marcussi tuitou: “Esta é a solução para você se livrar da focinheira. Eu ‘chama’ do cabresto também. Só não pode falar o nome porque eles” e seguem três emojis de tesouras. E publicou uma reprodução do atestado que vem concedendo.

O texto se baseia em artigo da lei federal 14.019 /2020, que obriga o uso de máscaras, mas prevê exceções no caso de quem mostrar algum problema de saúde ao utilizá-las. No atestado reproduzido, com o nome do paciente coberto, Marcussi alega que o uso do equipamento de segurança provoca cefaleia crônica na pessoa, que pode aumentar a concentração de gás carbônico (CO2) no sangue e ainda levar a trombose.

Veja o atestado:

Mostre mais
Fechar