Crianças que tomam antibióticos podem desenvolver doenças mais tarde

Crianças que recebem antibióticos antes dos dois anos têm quase três vezes mais chances de desenvolver doença celíaca mais tarde na vida, de acordo com uma análise da Mayo Clinic e da Rutgers University, ambas nos Estados Unidos. Além disso, as crianças tratadas com os medicamentos têm um risco 90% maior de asma e probabilidade 32% maior de serem diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). E eles têm cerca de 20% mais chances de ter sobrepeso ou obesidade à medida que envelhecem. Crianças tratadas com antibióticos quando bebês também tiveram um risco 21% maior de dificuldade de aprendizado e um risco 19% maior de autismo.

Para este estudo, os pesquisadores rastrearam 14.572 crianças nascidas no Condado de Olmstead, Minnesota, entre 2003 e 2011. Entre essas crianças, 70% receberam pelo menos uma receita de antibióticos para combater ou prevenir a infecção desde o nascimento até os 2 anos.

Em comparação com aquelas que não foram tratadas com os medicamentos, as crianças que receberam antibióticos tinham até 200% mais chances de desenvolver a doença celíaca, um distúrbio digestivo que afeta a capacidade do corpo de processar o glúten. Além do aumento do risco de asma, TDAH e problemas de controle de peso, as crianças que receberam antibióticos quando bebês tinham 47% mais chances de desenvolver eczema, 36% mais chances de desenvolver febre do feno e 33% de ter alergia alimentar. Aqueles que receberam vários tratamentos com antibióticos eram mais propensos a ter várias doenças ou condições mais tarde na infância.

Os pesquisadores explicam que a ligação entre os antibióticos, que são usados ??para tratar infecções bacterianas, e essas e outras condições de saúde está no efeito dos medicamentos no microbioma intestinal. O microbioma intestinal, que desempenha um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento, é a coleção de microorganismos – incluindo bactérias – que vivem no trato digestivo que ajudam o corpo a processar alimentos e fornecer nutrientes e energia onde são necessários.

De acordo com os autores, acredita-se que a exposição precoce a antibióticos pode impedir o desenvolvimento de “bactérias boas” no intestino, afetando a capacidade do corpo de combater infecções e inflamações.

Os pesquisadores esclarecem que as descobertas ilustram uma associação entre o uso de antibióticos e essas condições de saúde e não sugerem que as drogas as causem. Eles esperam que os resultados ajudem a moldar pesquisas futuras para determinar abordagens mais seguras quanto ao momento, dosagem e tipos de antibióticos para crianças nessa faixa etária.

Mostre mais
Fechar