DE MOLHO ATÉ 2026: Pré-candidato da oposição aparece em lista ‘suja’ do TCE e pode ficar de fora da disputa em São Bento

Os pré candidatos para a disputa eleitoral desse ano tem que ficar atentos aos “fantasmas do passado”. Os fantasmas da família Souza em São Bento estão assombrando tio e sobrinho, que além do sobrenome, tem em comum o gosto pela cadeira de prefeito da cidade.

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) encaminhou à justiça eleitoral a lista dos gestores que tiveram contas reprovadas pela Corte nos últimos oito anos e que podem considerados inelegíveis para o pleito deste ano.

Conforme a Lei Complementar 135/2010 (Lei da Ficha Limpa), ficam impedidos de disputar a eleição políticos condenados pela justiça comum ou que tiveram suas contas reprovadas nos oito anos seguintes à decisão.

Para Jaci (Galego) Severino de Souza e e seu sobrinho, Gemilton Souza da Silva os fantasmas das contas reprovadas podem assombrar a pré campanha. De acordo com o parecer, Galego de Souza ficaria de fora das disputas até 2024 e Gemilton fica de fora até 2026.

Além da reprovação do TCE, os ex-gestores teriam que superar outras assombrações no armário.

Durante a gestão de Galego de Souza, foram gastos mais de R$100 mil em locação de carros a familiares, numa licitação que foi considerada irregular. Na licitação para locação de 03 veículos para Secretaria de Infraestrutura e Saúde, todos os vencedores são da mesma família do então prefeito.

Com a candidatura engatilhada, Gemilton teria mais a perder com o processo. Representando a oposição, Gemilton teria que lidar com as críticas a sua própria gestão, marcada pela contratação de serviços sem licitação e com preço superior ao mercado.

 

 

Mostre mais
Fechar