Diretor do São Paulo Crystal, Eduardo Araújo, morre vítima de Covid-19

O diretor executivo do São Paulo Crystal, Eduardo Araújo, morreu neste domingo, em João Pessoa, vítima de Covid-19. O advogado tinha apenas 33 anos e estava internado desde o início deste mês em um hospital da capital paraibana. A informação sobre a morte do promissor dirigente de futebol foi confirmada no início da tarde pelo seu irmão, Rodolfo Lamenha.

Eduardo Araújo estava internado há mais de 20 dias em um hospital particular de João Pessoa. Desde então, ele vinha lutando contra a doença que já matou mais de 57 mil pessoas no Brasil e quase 900 apenas na Paraíba. Após algumas alternâncias em seu quadro de saúde ao longo desses dias, neste domingo ele perdeu a guerra contra a Covid-19. A morte foi confirmada ainda no início da tarde. Eduardo deixa esposa e um filho.

Eduardo Araújo e o futebol

Apesar da pouca idade, Eduardo Araújo vinha construindo uma carreira consistente como dirigente de futebol. Até o início da pandemia do novo coronavírus no Brasil, quando o esporte foi paralisado, há mais de três meses, ele vinha desempenhando o cargo de diretor executivo do São Paulo Crystal, time modesto de Cruz do Espírito Santo, que fica na Região Metropolitana de João Pessoa. E Eduardo foi um dos que ajudaram a colocar o clube na elite do futebol paraibano, onde está agora. Mas esses não haviam sido os seus primeiros passos no mundo dos esportes.

Formado em Direito, o dirigente advogou por vários clubes da Paraíba, participou de diretorias do Auto Esporte e do Internacional-PB, e também exerceu um cargo na Federação Paraibana de Futebol (FPF), chegando a concorrer ao cargo de presidente da entidade maior do futebol do estado.

No Auto Esporte, ele participou de uma intervenção em 2015 e, depois disso, ainda atuou por um período como diretor jurídico do clube. No ano seguinte, também integrou uma boa gestão administrativa no Internacional-PB, que progrediu bastante enquanto ele esteve na diretoria.

Posteriormente, teve uma passagem relâmpago pela FPF, já em 2018, quando assumiu o cargo de diretor executivo da entidade na gestão do ex-presidente Amadeu Rodrigues. Aquele era um momento turbulento, quando o futebol paraibano lidava com a Operação Cartola, que investigou um esquema de corrupção entre dirigentes e clubes. Mesmo assim, ele fez um bom trabalho, pedindo demissão quando Amadeu foi afastado pela Justiça.

Ao fim daquele ano, Eduardo Araújo decidiu dar um passo maior e mais importante na carreira como gestor de futebol. Ele se candidatou à presidência da Federação Paraibana, mas acabou sendo derrotado pela atual presidente, Michelle Ramalho. Desde então, ele vinha trabalhando à frente da diretoria do São Paulo Crystal, onde em 2019 conseguiu levar o time ao acesso à 1ª divisão deste ano e, até março, quando o futebol foi interrompido, via o time lutar pela permanência na elite.

Mostre mais
Fechar