É FAKE: Ivermectina mata Covid-19 em dois dias com dose única – ENTENDA

Apesar de diversas pesquisas sobre possíveis tratamentos e até vacinas estarem em estágio avançado (ou até mesmo concluídas), alguns resultados não tem animado. Motivo pelo qual diversas fake news ainda terem sobrevida, mesmo depois de meses de estudos e resultados claros.

A esperança faz com que muita gente ainda acredite em curas milagrosas. É canalhice jogar com a expectativa e fé alheia, mas, infelizmente, esse tipo de coisa ainda acontece. Nos últimos dias, uma história já conhecida ganhou as redes sociais. De acordo com uma publicação, cientistas teriam descoberto que tomar uma dose única de ivermectina seria suficiente para matar o vírus em até dois dias. Ainda segundo a história, o medicamento seria capaz de remover todo o RNA do vírus presente no organismo. A redução do material genético seria significativo ainda no primeiro dia. Confira:

Versão 1: “IVERMECTINA REALMENTE MATA COVID-19 EM 2 DIAS COMPROVA ESTUDO”.

Versão 2: “Cientistas descobriram que dose única de ivermectina pode remover todo o RNA do novo coronavírus em um período de 48 horas. Mesmo no primeiro dia, a redução do material genético do vírus é significativo”.

Ivermectina mata Covid-19 em dois dias com dose única?

A informação, é claro, fez bastante sucesso nas redes sociais e causou burburinho. Mas será que essa história de que cientistas teriam descoberto que uma dose única de ivermectina seria capaz de matar o novo coronavírus em dois dias é real? A resposta é não!

Vamos aos detalhes! Basta uma rápida leitura para perceber que a publicação apresenta diversas características de fake news. Ela é vaga, alarmista, possui erros de português, incentiva o uso e o compartilhamento e não cita fontes confiáveis.

Surgiram inúmeras histórias falsas envolvendo a ivermectina, como a que dizia que a ivermectina teria sido descoberta como a cura da Covid-19. Também a que indicava que a África teria controlado a Covid-19 no continente com o uso da ivermectina e, por fim, a que apontava que as cascas de limão e laranja teriam ivermectina e cloroquina e seriam capazes de prevenir e curar a Covid-19.

Mostre mais
Fechar