Em cima de carro, mulher protesta por ter corridas de aplicativo recusadas por motorista

Um vídeo que viralizou na internet mostra uma mulher protestando após ter duas corridas de aplicativos negadas pelo mesmo motorista no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na tarde desta quinta-feira (3).

Segundo ela, o motorista cancelou as viagens porque ela mora perto do aeroporto e deve preferir pegar algum passageiro que more mais distante.

A mulher, ainda não identificada, subiu no capô de um carro estacionado no “bolsão de carros do aplicativo 99”, perto do aeroporto, para protestar contra a espera, segundo um amigo da pessoa que gravou o vídeo.

A passageira fala com as pessoas que estão no estacionamento: “Eu vou sair aqui do Terminal 3 e ir lá para Guarulhos. Ele não quer fazer essa corrida. Sabe por quê? Porque ele quer ir para a Pompeia, Cidade Jardim, Viracopos…Ele está aqui, não sei há quantas horas, mas não quer fazer a minha corrida”.

O vídeo dá a entender que a mulher saiu do terminal do aeroporto e seguiu até o estacionamento dos carros de aplicativo para localizar o motorista. As imagens, no entanto, não permitem identificar o local.

A passageira segue o desabafo: “Ele me rejeitou duas vezes e quando a 99 foi fazer a corrida para ele de novo, ele ficou 23 minutos esperando eu cancelar. Por que eu, como passageira, tenho que cancelar a corrida dos senhores motoristas? Por que os senhores motoristas estão aqui em Guarulhos esperando uma corrida para Cidade Jardim, para pegar uma madame. Só que eu estou com meu filho, por favor senhores, filmem o meu filho, há 23 minutos esperando esse motorista aqui. Cadê você para defender o seu carro, o seu patrimônio?”.

A mulher dá alguns tapas no capô do carro e sobe no para-brisa. “Será que você é um pai de família para deixar uma mãe 23 minutos esperando o Uber? Será que ele tá tomando café com leite ali? Cadê ele? Cadê o defensor do carro? Não vai aparecer? Por favor, filma a placa dele. Ele quer cobrar uma fortuna para ir para a Pompeia, mas não quer fazer uma corrida para Guarulhos. Obrigado”.

Em nota, a 99 informou que “está apurando o caso, mas não recebeu informações sobre a corrida em que o incidente teria ocorrido. O aplicativo esclarece que o motorista parceiro é um profissional autônomo com liberdade para definir sua jornada de trabalho. Ou seja, os condutores podem escolher seus horários e se aceitam ou não as viagens oferecidas.”

Ainda segundo o texto, o aplicativo diz que “esclarecemos ainda que, de acordo com os Termos de Uso da 99, em casos de cancelamentos constantes ou atos discriminatórios, o motorista está sujeito a sanções que vão desde orientações educativas a bloqueio temporário ou definitivo do aplicativo.”

A Uber também foi citada no vídeo, mas ainda não respondeu até a publicação desta reportagem.

O carro está registrado em nome da Localiza Rent a Car. A empresa, em nota, informou que “não fornece os dados de seus clientes, exceto nas hipóteses em que há determinação legal.”

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo informou que “as polícias Civil e Militar não localizaram registro dos fatos”.

Mostre mais
Fechar