ESCÂNDALO NO BNDES: Banco faz contrato milionário com empresa de conselheiro

O BNDES, que recentemente vendeu participação acionária numa empresa de energia por valor menor do que o oferecido por outro participante da disputa, é alvo de uma nova denúncia. O banco anunciou, entre dezembro de 2019 e fevereiro deste ano, três contratos de consultoria com o consórcio do qual faz parte a G5 Partners Consultoria e Participações, no valor total de R$ 9,7 milhões, para fazer a modelagem de privatizações ou venda de participação em estatais que o governo Jair Bolsonaro planeja realizar. O problema é o que o vencedor dos pregões eletrônicos tinha, até 31 de outubro de 2019, como um dos seus sócios, Marcelo Serfaty, presidente do Conselho de Administração do BNDES, segundo informa o jornalista Patrick Camporez, no jornal Estado de S. Paulo.

“O empresário continua vinculado com a G5 Partners. Eles são sócios na G5 Gestora de Recursos, da qual Serfaty detém 49,5% do negócio e segue como membro de comitê de investimentos. A G5 Partners tem  49% do negócio. O administrador é Renato Klarnet, representante legal da G5 Partners, na qualidade de sócio”, aponta a reportagem. O jornalista informa que a área de integridade, controladoria e gestão de riscos do banco alertou sobre potencial conflito de interesses e pediu que o vínculo de Serfaty com a G5 fosse analisado pelo Comitê de Ética da instituição, o que não ocorreu. O banco enviou o caso para análise da Controladoria Geral da União (CGU), que ainda não se posicionou.

Mostre mais
Fechar