FILMES 18+: Conheça a lista dos títulos mais rentáveis da história do cinema

“Coringa”, de Todd Philips, é o “filme para adultos” mais rentável da história do cinema, fazendo US$1,060 bilhão na bilheteria mundial. A informação não deixa de ser curiosa para nós, brasileiros, já que o longa teve por aqui classificação etária “apenas” de 16 anos.

A informação leva em conta a censura dos Estados Unidos, que serve de padrão para muitos outros países, consideravelmente mais rígida que a nossa. Por lá, apenas adultos puderam ver na sala do cinema a obra que rendeu um Oscar de Melhor Ator a Joaquin Phoenix.

Aproveitando o assunto, decidimos mostrar quais são os tais “filmes para maiores” mais rentáveis do cinema, levando em conta a classificação etária dos Estados Unidos e os valores de bilheteria mundial não corrigidos pela inflação. Confira abaixo:

1 – Coringa – US$1,060 bilhão

Um sucesso mundial que rendeu um Oscar de Joaquin Phoenix. Menos perturbador do que se vendia, o longa da DC Comics é o filme para adultos mais lucrativo da história.

2 – Deadpool 2 – US$785 milhões

O humor escrachado do anti-herói foi consagrado pelo público com números de bilheterias que rivalizam com os filmes mais badalados da Marvel. Por aqui, no Brasil, assim como o “Coringa, ele também ganhou classificação indicativa de “não recomendado para menores de 16 anos”.

3 – Deadpool – US$783,1 milhões

O custo de produção de US$58 milhões mostra que a Fox não apostou tão alto nos palavrões do personagem de Ryan Reynolds logo de cara – e se surpreendeu positivamente.

4 – Matrix Reloaded – US$742,1 milhões

Após o sucesso do primeiro filme, o longa das irmãs Lana e Lilly Wachowski foi por mais de uma década o longa para adultos mais rentável da história.

5 – It – A Coisa – US$700 milhões

Um filme de orçamento modesto (US$35 milhões), mas com o forte apelo de um livro clássico de Stephen King por trás de um personagem principal assustador e carismático: fórmula de fazer dinheiro.

6 – A Paixão de Cristo – US$611,8 milhões

O polêmico filme de Mel Gibson sobre os últimos dias de Jesus Cristo na Terra teve custos de produção modestos (US$30 milhões), completamente pagos com os bons números obtidos na bilheteria mundial.

7 – Logan – US$619 milhões

A despedida de Hugh Jackman do papel de Wolverine acabou sendo um tiro certo no ponto de vista de investimentos por parte da Fox. O seu custo de produção alto, US$97 milhões, acabou sendo completamente justificado no fiel da balança.

8 – Se Beber, Não Case – Parte 2 – US$586,7 milhões

A continuação do sucesso da comédia até que foi uma produção cara – US$80 milhões, usados em sequências de ação absurdas. Um tiro comercial certo – apesar do segundo filme ser pouquíssimo lembrado nos dias de hoje.

9 – Cinquenta Tons de Cinza – US$571 milhões

Impulsionado pelo sucesso do best-seller de E. L. James, o longa fez o sucesso esperado para uma história de tanta visibilidade e grande apelo erótico. Só no Brasil a obra arrecadou US$31,3 milhões.

10 – Ted – US$549,3 milhões

O filme do urso desbocado foi um surpreendente sucesso. Co-produzido e co-escrito pelo diretor Seth MacFarlane, criador do Family Guy, o longa custou US$ 50 milhões pela Media Rights Capital.

Mostre mais
Fechar