Governo Bolsonaro distribuiu mais de 100 mil comprimidos de cloroquina entre comunidades indígenas

O governo Jair Bolsonaro distribuiu 100.500 comprimidos de cloroquina nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), que está na linha de frente no atendimento à Covid-19 entre os povos indígenas. A informação consta de uma apresentação divulgada pelo ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, na última sexta-feira (24) e foi destacada no site De Olho nos Ruralistas.

No slide apresentado pelo coronel Elcio Franco, secretário-executivo da pasta, consta ainda que foram enviados aos distritos que cuidam da saúde dos povos indígenas outros 205.540 comprimidos de oseltavimir, conhecido pelo seu nome comercial – Tamiflu.

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, o Tamiflu tem uma eficiência menor ainda e um risco maior ainda no caso da Covid-19, embora seja recomendado — sem ênfase — para o combate à gripe.

Cloroquina
Sem comprovação científica e com restrições pelo próprio Conselho Nacional de Saúde (CNS), a cloroquina tornou-se a principal bandeira de Jair Bolsonaro no combate ao coronavírus.

Após ordem do presidente, o laboratório do Exército acelerou a produção do medicamento, chegando a produzir 1,8 milhão de comprimidos, cerca de 18 vezes a produção anual do medicamento nos anos anteriores.

Genocídio
Ao menos 12.049 indígenas brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus e 231 morreram por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo números do Ministério da Saúde divulgados na mesma reunião, nesta sexta-feira (24).

A Região Norte foi a que mais teve casos entre os povos tradicionais, com ao menos 8.348 confirmações e 137 mortes. No Nordeste, segunda região com mais casos, 2.057 indígenas confirmaram para Covid-19 e 38 morreram.

Mostre mais
Fechar