IBGE: 2,6 milhões perderam o emprego em sete semanas devido à crise agravada pela pandemia do coronavírus

Entre a primeira semana de maio e a quarta semana de junho, 2,6 milhões de pessoas perderam o emprego devido à crise econômica aprofundada pela pandemia do coronavírus. A alta, de 26% no período, foi revelada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (17).

De acordo com o IBGE, 12.428 milhões de pessoas estavam desempregadas na quarta semana de junho. A taxa de desemprego ficou em 13,1%, a maior registrada desde o começo de maio, quando era de 10,5%.

Cerca de 10,3 milhões (12,5% da população ocupada) estavam afastados do trabalho devido ao distanciamento social no final de maio. Esse contingente teve redução em relação à semana anterior (11,1 milhões ou 13,3% da população ocupada) e também frente à semana de 3 a 9 de maio (16,6 milhões ou 19,8% dos ocupados).

Já a população fora da força de trabalho – que não estava trabalhando nem procurava por trabalho no período – foi de 75,1 milhões de pessoas, com estabilidade estatística em relação à semana anterior (74,5 milhões) e à semana de 3 a 9 de maio (76,2 milhões).

Nessa população, cerca de 26,9 milhões de pessoas (ou 35,9% da população fora da força de trabalho) disseram que gostariam de trabalhar.

Mostre mais
Fechar