‘LARGOU SERVIÇO E FACULDADE PARA ESTUDAR’: Mãe lamenta perda de filho que morreu após fazer teste de aptidão física

Arthur Neira Vieira, de 23 anos, morreu no último domingo (07), após passar mal durante o teste de aptidão física do concurso de agente penal de Roraima. Elaine Fernandes, mãe do rapaz, lamentou profundamente a morte do filho.

Conforme apontado pelo G1, Elaine contestou a informação de que Arthur tinha fugido do Hospital Geral de Roraima (HGR). A Secretaria de Saúde do estado afirmou que o jovem esteve na unidade hospitalar, na última sexta-feira (5) após passar mal, mas fugiu do local após solicitar alta e o médico informar que seria necessário revisão do prontuário.

“Porque é um hospital de referência, ninguém entra e ninguém sai sem ser aberta a porta, ninguém. Como meu filho iria fugir? É mentira, é eles querendo tirar o corpo fora. Ele largou o serviço, ele largou faculdade só para estudar para isso”, desabafou a mãe.

Amigos agora sofrem com a perda da vítima, que estava em busca da realização de um sonho. “Eu sou policial militar, depois que eu passei na Polícia Militar – a gente trabalhava junto na mesma empresa – ele falava para mim que me tinha como exemplos. Inclusive, cerca de uma semana antes, ele estava com dores no joelho, auxiliei, falei para trocar o tênis”, disse o amigo Thiago Melo.

De acordo com a família, Arthur treinava para a segunda etapa do concurso e não tinha apresentado nenhum problema de saúde. Ele morreu depois de concluir o teste físico. O amigo Marcos Marques, que estava com o jovem e também fez a mesma prova, relatou que outros candidatos passaram mal.

“O Arthur falou também que na corrida dele, outras pessoas passaram mal. Na minha corrida, eu fiz o teste às 11h da manhã, no sábado, outras pessoas passaram mal. Eu vi nas redes sociais vídeos de pessoas correndo que também passaram mal”, contou Marcos.

Marques, que estava hospedado com Arthur, revelou que o jovem chegou a ser atendido em unidades hospitalares várias vezes depois que realizou o teste. “O Arthur não fugiu do hospital. Eu acho que o caso que estão falando que ele saiu do hospital foi na sexta-feira, logo depois de terem levado ele. A gente foi lá [no hospital] buscar o Arthur, quando ficamos sabendo que ele estava no HGR. O Arthur saiu pela porta do trauma, que é um dos locais do HGR, ele saiu pela porta da frente, com uma equipe abrindo a porta para ele. Ele saiu com os aparelhos dele e a gente o levou, andando”, falou.

A TV Anhanguera aguarda o posicionamento do Hospital Geral de Roraima e do governo do estado.

Mostre mais
Fechar