Ministério da Saúde pagou mais de R$24 milhões para empresa que fez transporte de garimpo ilegal em terras indígenas

O Ministério da Saúde, sob gestão de Eduardo Pazuello, contratou por R$ 24,3 milhões uma empresa que fornece aeronaves para o transporte de profissionais de saúde. O sócio é suspeito de ceder aeronaves ao garimpo ilegal em terra indígena ianomâmi.

A Justiça Federal decretou a busca e apreensão de um avião em nome do empresário. Índios fotografaram a mesma aeronave e enviaram as imagens à Polícia Federal (PF).

Somente no governo de Jair Bolsonaro, a empresa já recebeu R$ 17 milhões pelo serviço prestado.

Segundo cálculos de associações de indígenas, cerca de 20 mil garimpeiros estão dentro da terra indígena, onde vivem 26 mil índios, em Roraima (a grande maioria) e Amazonas (o território se estende pela Venezuela).

Mostre mais
Fechar