NA PONTA DO LÁPIS: Marcação gasta quase o triplo em gasolina que município com o dobro do tamanho

Com as ferramentas de transparência disponibilizadas para que a população acompanhe os gastos é comum que alguns questionamentos econômicos sejam feitos. Por exemplo, o gasto com gasolina. Para efeito de comparação, o Expresso PB usou os gastos de duas prefeituras no ano de 2020.

O prefeitura de Marcação, no Litoral Norte do estado, já gastou quase R$800 mil com gasolina no ano de 2020. Com 8.475 habitantes (segundo IBGE), o número gasto causa algum estranhamento, até por que, atualmente boa parte dos gastos da prefeitura deveriam ser reduzidos em razão da pandemia causada pelo coronavírus.

O número ainda parece mais impressionante quando comparado a cidade vizinha, Rio Tinto. Com 24.176 habitantes (segundo IBGE) a cidade também gastou cerca de R$800 mil em 2020.

Alguns postos de gasolina tem liberdade comercial de praticar preços diferentes, mas no caso de Rio Tinto e Marcação, o Sagres aponta que ambos compram seus combustíveis no mesmo fornecedor. O Posto de Combustível Nova Mamanguape é responsável por abastecer as duas prefeituras.

Mas o que explica que uma gaste R$91 reais por habitante e a outra, maior e com mais habitantes, gaste R$31 por habitante? Infelizmente essa parte da economia da gestão não é explicada no Sagres, cabendo sempre a população fiscalizar seus responsáveis.

As contas de Marcação também já passaram por outra aferição. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) alertou a prefeita Lili para o fato de que o portal do município não traz informações referentes ao número de casos e óbitos oriundos do novo coronavírus, além de todas as licitações de contratos relacionados ao combate da doença.

O TCE  percebeu também o alto número de casos se comparados à população e a aplicação de apenas 21,38% dos recursos dos Fundos Nacionais.

Em Marcação, já foram registrados 485 casos e 4 mortes. Sua população estimada é de 8.653.

Mostre mais
Fechar