‘Não quero nada dele’, afirma vendedora egípcia assediada por médico brasileiro

Alvo de ofensas pelo médico e influenciador Victor Sorrentino, a jovem egípcia afirmou que não irá pedir indenização ao brasileiro, ao contrário da loja onde trabalha, que já anunciou a intenção de fazer o pedido de compensação financeira. O homem foi detido no Egito na semana passada, após divulgar um vídeo no qual fazia piadas sexuais. Ele foi liberado e já está de volta ao Brasil.

“Não, não quero nada dele”, disse a egípcia, em entrevista ao “Fantástico”, da TV Globo. “Porque para mim o que aconteceu foi suficiente, suficiente ele dizer que cometeu um erro. Não sei o que a polícia vai fazer, mas da minha parte eu aceito o perdão. Mas o que vai acontecer depois não é trabalho meu”, acrescentou.

No vídeo compartilhado, Victor aparece fazendo comentários obscenos de conotação sexual e duplo sentido a uma vendedora de uma loja de papiros em Luxor. “Vocês gostam mesmo é do bem duro, né? E comprido também fica legal, né?”, afirmou Sorrentino, em meio à gargalhada.

Depois da repercussão negativa, o médico retornou ao estabelecimento no dia seguinte e gravou um novo vídeo, em que aparece pedindo desculpas à vendedora. No dia 30 de maio, Victor foi detido no aeroporto por autoridades egípcias e impedido de deixar o país, enquanto investigadores decidiam qual desfecho dariam ao caso.

Em entrevista à TV Globo, o advogado da loja demonstrou o desejo do estabelecimento de entrar com ação por compensação financeira, “já que ficou com portas fechadas durante alguns dias”.

Mostre mais
Fechar