Novo ministro do turismo defende festas de ano novo com até 300 pessoas

Em entrevista nesta quinta-feira (17), o novo ministro do turismo defendeu as comemorações de ano novo no país. “As festas de Réveillon têm que acontecer. Não dá para liberar grandes aglomerações, mas festas com público entre 150 e 300 pessoas, sim. A gente tem que viver a vida, não dá para morrer por antecipação”. A declaração acontece um dia depois de o Brasil alcançar a segunda maior marca de infectados em um único dia, com 68.437 testes positivos.

Gilson Machado tomou posse ao cargo de ministro na última quarta-feira (16). A mudança aconteceu depois que Jair Bolsonaro (sem partido) se desentendeu com Álvaro Antônio.

Além da declaração sobre aglomerações durante as comemorações de fim de ano, Machado também pediu para que governadores e prefeitos não decretarem novos lockdowns. Segundo o ministro, as fiscalizações devem continuar acontecendo, porém, a população já sabe como enfrentar o vírus e que não é um inimigo desconhecido.

A fala do ministro vai contra as recomendações de especialistas para evitar aglomerações e evitar reunir a família nas festas de fim de ano.

Mostre mais
Fechar