Obama afirma que suspeitava de corrupção ampla no governo Lula

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), criticou o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama por afirmar, em seu livro de memórias, que tinha conhecimento de rumores de corrupção na “casa dos bilhões” envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O livro de Obama, Uma Terra Prometida, foi lançado mundialmente nesta semana e traz passagens sobre o Brasil.

Em seu livro, Obama faz alguns elogios a Lula, mas também diz que tinha informações de que haveria muita corrupção no governo do petista. O trecho do livro em que o ex-presidente americano se refere a Lula trata da visita de Lula à Casa Branca em 2009.

Obama afirma que Lula “tinha visitado o Salão Oval” da Casa Branca, “causando boa impressão”. “Ex-líder sindical grisalho e cativante, com uma passagem pela prisão por protestar contra o governo militar, e eleito em 2002, tinha iniciado uma série de reformas pragmáticas que fizeram as taxas de crescimento do Brasil dispararem, ampliando sua classe média e assegurando moradia e educação para milhões de cidadãos mais pobres. Constava também que tinha os escrúpulos de um chefão do Tammany Hall, e circulavam boatos de clientelismo governamental, negócios por baixo do pano e propinas na casa dos bilhões”.

Tammany Hall era o nome dado à máquina política corrupta do Partido Democrata dos Estados Unidos que dominou a cidade de Nova York por 200 anos.

O ex-presidente americano não explica no livro sua referência a “propinas na casa dos bilhões”. Quando Obama conheceu Lula pessoalmente, o petista já havia passado pelo mensalão, o primeiro grande escândalo de corrupção que atingiu seu governo, em 2005. Apesar do escândalo, Lula conseguiu se reeleger. Porém, a descoberta de um esquema de corrupção que envolveu a cifra de bilhões de reais aconteceu somente com a Lava Jato, a partir de 2014, que investigou as gestões de Lula e Dilma Rousseff.

Newsletter

Presidente do PT critica Obama

O ex-presidente Lula, até agora, não se manifestou sobre as afirmações de Obama. Já Gleisi Hoffmann usou as redes sociais para criticar o ex-presidente americano. Ela acusou Obama de acobertar “um vice investigado por corrupção”, se referindo a Joe Biden.

A presidente do PT também afirmou que Obama “tem que explicar a sua participação no golpe e na Lava Jato”, em referência ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“Obama passou 8 anos fazendo guerras e espionagem, a serviço da indústria de armas e do establishment de seu país”, disse ainda a petista.

Ela se refere a um dos episódios de maior tensão entre Brasil e Estados Unidos, quando, em 2013, documentos secretos obtidos com Edward Snowden revelaram que Dilma e seus assessores foram espionados por Washington. Quando o caso veio à tona, Dilma chegou a cancelar uma visita que faria aos Estados Unidos.

Dois anos depois, em 2015, o site WikiLeaks publicou documentos que mostravam que 29 telefones de membros e ex-integrantes do governo brasileiro foram interceptados pela agência de inteligência americana. Entre os membros do governo alvos de espionagem estavam os ex-ministros Antonio Palocci e Nelson Barbosa.

Os episódios de espionagem americana servem de munição para os petistas alegarem, sem provas, que o ex-juiz federal Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato em Curitiba foram alimentados por informações dos Estados Unidos de forma ilegal.

Mostre mais
Fechar