OS CAMINHOS DA FÉ: Governador Wilson Witzel lança canal no Youtube sobre religião

Enquanto aguarda as etapas do processo de impeachment, Wilson Witzel tenta emplacar em outra área. O governador, afastado do cargo desde 28 de agosto, lançou há cinco dias um canal no Youtube chamado ‘Os Caminhos da Fé’. Nos vídeos, Witzel, que é evangélico, debate temas da moral cristã. Em um deles, o assunto é ‘Egoísmo: o grande mal da humanidade’.
No vídeo de apresentação, Witzel explica que a intenção do perfil é dialogar com outros cristãos e divulgar trabalhos que “possam estmular outras pessoas a praticarem boas ações”. “Criei este canal, Caminhos da Fé, para conversar com as pessoas que trabalham nos seus ministérios e para ajudar outras pessoas. Criei o canal para divulgar trabalhos que são realizados pelas pessoas, para que elas possam estimular outras a também praticarem boas ações. Este canal que dedico aos grandes líderes religiosos”, disse no vídeo intitulado ‘Fé e Ação – Um Cristão de Fé não pode ser egoísta! (Tiago 2:14-26)’.
Witzel não desviou dos assuntos políticos na última live, que somava seis visualizações até essa quarta-feira. “Quem vem para agradecer, ou fazer crítica, são todos bem-vindos. É um momento em que nós estamos passando muitas dificuldades no estado do Rio de Janeiro, e tenho certeza que muita gente tem suas críticas para serem feitas, e todas são bem-vindas. Faz parte da vida pública. Fui criticado como juiz, como político não seria diferente”.
Afastado desde agosto, ele aguarda as etapas do processo do Tribunal Especial Misto (TEM), que tem ouvido pessoas próximas do executivo fluminense. Witzel é acusado de participar de esquemas de irregularidades e fraudes na gestão da Saúde do estado.
Na última segunda-feira (28), o presidente do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), Cláudio de Mello Tavares, suspendeu o prazo para a conclusão do processo de impeachment de Witzel. Assim, a contagem inicial de 180 para o fim do julgamento foi interrompida. A decisão foi tomada após o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender o depoimento de Witzel, que seria ouvido pelo Tribunal Especial Misto na segunda-feira. Pela liminar, ele só poderá ser ouvido depois que os advogados de defesa tiverem acesso aos documentos enviados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) aos desembargadores, incluindo o conteúdo da delação do ex-secretário de Saúde, Edmar Santos.
Mostre mais
Fechar