Prevista para dezembro em SP, vacina chega à China por US$60

A cidade de Jiaxing, na região leste da China, oferece a alguns habitantes uma vacina experimental contra o coronavírus a 60 dólares, anunciaram as autoridades locais, a primeira operação do tipo no país, que acontece com uma vacina que ainda não foi aprovada.

Os moradores com idades entre 18 e 59 anos e em situações “urgentes” podem seguir até o hospital para uma possível administração da vacina da empresa privada Sinovac Biotech, que as autoridades já aplicaram em grupos como os profissionais da saúde.

O centro de Jiaxing para o controle e a prevenção de doenças não explicou o que é considerado situação “urgente”.

As autoridades não informaram quantas pessoas da cidade já receberam a vacina, aplicada em duas doses administradas com até 28 duas de intervalo e com um custo total de 400 yuanes (59 dólares).

Apesar de 11 vacinas originárias deste país terem iniciado os testes clínicos – quatro delas em testes avançados de fase três, incluindo a da Sinovac -, nenhuma foi aprovada para comercialização.

A China tenta vencer a corrida mundial pela vacina contra um vírus que surgiu na cidade de Wuhan e, ao mesmo tempo, tenta passar uma imagem de recuperação da situação da saúde e da crise econômica.

O governo aprovou algumas vacinas candidatas para uso de emergência, com a garantia de que não foram registradas reações adversas graves.

As autoridades de saúde anunciaram no mês passado que o país espera poder produzir 610 milhões de doses até o fim do ano e que teriam um preço acessível.

Mostre mais
Fechar