R$20 MIL DE MULTA E POPULAÇÃO EM RISCO: Prefeita de Marcação prefere ‘pagar o preço’ para poder fazer aglomerações irregulares durante campanha

Dizem que o namoro é o ensaio do casamento. Seguindo a mesma premissa, podemos entender que a campanha  é o “ensaio” da gestão. Se uma campanha é baseada em encher ruas de santinhos, causar baderna, falta de transparência nos gastos, tudo é uma “amostra” do que se pode esperar da gestão desse candidato.

Em tempos de pandemia causada pelo corona, aglomerações e desrespeito pela segurança sanitária dos próprios eleitores estão dando o tom de algumas campanhas. É o caso da campanha da prefeita Lili, de Marcação.

Durante o último domingo (11) a prefeita, candidata a reeleição, promoveu uma aglomeração e carreata. As imagens e vídeos atestam que a prefeita desrespeitou as regras de distanciamento social e aparentemente “esqueceu” que a cidade de Marcação ainda se encontra com a “bandeira amarela” na classificação estadual de contaminação. Dessa forma, foi vedada a realização de comícios e carreatas na cidade. A multa em caso de descumprimento está fixada em R$20 mil.

A prefeita Lili, enquanto candidata e gestora, decidiu que os R$20 mil da multa e o risco da população de Marcação são um preço pequeno para se pagar tendo em vista sua possível vitória nas urnas.

Mostre mais
Fechar