SEM CÂMERA: iPhone 12 Pro Max ganha edição de R$ 35 mil que protege contra espionagem

A empresa russa Caviar anunciou nesta semana uma versão de luxo do iPhone 12 Pro Max (Apple) contra espionagem que custa até R$ 35 mil. O celular personalizado vem sem as câmeras, trazendo um visual liso na parte de trás do smartphone. Desta forma, a companhia acredita que o usuário pode se proteger em caso de invasões ao sistema do telefone.

O aparelho que leva a alcunha de Stealth (furtividade, em tradução livre) ainda apresenta um acabamento em titânio ou ouro que cobre toda a parte traseira do dispositivo.

A Caviar é conhecida por oferecer versões de celulares da Samsung e Apple para um público que gosta de luxo e paga caro para ter smartphones cobertos de ouro ou pedras preciosas. O iPhone 12 Pro Max intitulado de Stealth Gold tem acabamento em ouro e chega a custar US$ 6.750 (R$ 35 mil no câmbio de hoje) na versão de 512 GB de armazenamento. Esta edição está limitada a apenas 99 peças.

A companhia também disponibiliza uma versão do iPhone 12 Pro por preços que partem de US$ 4.990 (R$ 27 mil no câmbio de hoje). Assim como o modelo mais caro, o conjunto fotográfico na traseira também foi removido e a câmera frontal desativada.

Além de manter a privacidade do usuário, o celular ainda poderá ser usado em ambientes de empresas que possuem uma alta preocupação com segurança. No entanto, como o smartphone não tem câmeras, não será possível tirar fotos e nem usar o recurso Face ID para desbloquear o telefone por meio do reconhecimento facial.

Fora estas modificações externas, o Stealth ainda apresenta as características já vistas na linha iPhone 12 Pro. O aparelho tem de 128 GB a 512 GB de espaço interno, tela OLED de 6,1 ou 6,7 polegadas com resolução Super Retina XDR e processador A14 Bionic, o chip mais avançado da empresa até o momento. Os modelos sem personalizações têm preços sugeridos no Brasil que variam entre R$ 9.999 e R$ 13.999.

Mostre mais
Fechar