Sessão online do TCE é invadida por cão Bravo: ‘Deu uma babada no meu terno’

Uma sessão remota do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) contou com uma participação ilustre durante a fala do conselheiro Antonio Roque Citadini: o dogue alemão Bravo. Enquanto Citadini proferia seu voto, o cachorro “invadiu” a transmissão e acabou babando no terno do dono.

A aparição de Bravo acontece justamente no momento em que Citadini parece ter tido um problema com o computador. Ele começa a ler o voto e, logo depois, se perde — e é aí que o cachorro entra em cena.

“Neste caso, eu dou provimento parcial, mantenho a irregularidade, para limitar a vedação de novos recebimentos de recursos com a… Não, pulou aqui. Onde é que eu fui? Desculpa, é que o computador correu demais. E esse é meu cachorro. Justo agora ele me aparece aqui!”, lamenta, em meio a risos.

Os demais conselheiros que participam da sessão também deram risada, e Citadini tenta voltar a dar seu voto — mas é interrompido novamente por Bravo.

“Conselheira [Cristiana Castro Moraes], desculpe. Então eu voto pelo provimento do recurso… Você, vá para lá!”, diz, dirigindo-se ao cão. “Eu não sei o que meu cachorro aprontou aqui, porque ele deu uma babada no meu terno. Então eu dou provimento ao recurso”, repete.

Homenagem a goleiro chileno

Além de conselheiro do TCE-SP, Antonio Roque Citadini já foi vice-presidente do Corinthians e hoje é conselheiro do clube. Não à toa, o nome de Bravo tem a ver com futebol: é uma homenagem ao goleiro Cláudio Bravo, que atua como pelo Manchester City, da Inglaterra, e pela seleção chilena.

“O Bravo está orgulhoso de ter o mesmo nome do goleiro chileno Cláudio Bravo. Bravos!!!”, escreveu Citadini em 2019, em uma rede social.

Mostre mais
Fechar