TCHAU, TCHAU! 10 carros que devem sair de linha em 2021

Pois é, todo ano novo tem aquela lista de automóveis que estão pela bola 7. Modelos prontos para se despedir do mercado, seja pela idade avançada, pelas baixas vendas ou mesmo por um sucessor que já bate à porta. Muitos, é verdade, já tiveram sua sentença decretada em outras épocas, mas continuaram em linha – porém, uma hora, a Dona Morte chega.

1. Toyota Etios

O primeiro dos carros que vão sair de linha é o Etios. O carro que “popularizou” a Toyota no Brasil e foi alvo de duras críticas já está em ritmo de despedida.

O Etios até teve bom desempenho comercial nos primeiros anos após o lançamento, em 2012 – praticamente vendia-se tudo que era produzido na fábrica de Sorocaba (SP) -, e o modelo passou por atualizações constantes desde então, principalmente em termos de acabamento.

A verdade é que a chegada do Yaris em 2018 deixou o Etios em segundo plano. Muito melhor acabado, com desenho menos controverso e com câmbio automático mais moderno, o novo modelo caiu nas graças dos Toyoteiros. Já o primo mais simples desidratou nas vendas.

No acumulado de janeiro a novembro, o hatch do Etios emplacou pouco mais de 8 mil unidades e o sedã, 5 mil – menos da metade que as respectivas carrocerias do Yaris no mesmo período.

A própria Toyota faz o rito de passagem. Logo após a chegada do Yaris, o Etios perdeu suas versões mais caras XLS e Platinum. Neste ano de 2020, deixou de ser oferecido com o motor 1.3. Hoje, só é negociado com o 1.5 e em duas opções de acabamento, com câmbio manual de seis marchas ou automático de quatro.

2. Fiat Doblò é um dos carros que devem sair de linha em 2021

A multivan é que nem o samba do Nelson Sargento: “Agoniza, mas não morre”. Todo o ano o Doblò parece que vai encontrar a paz eterna e está entre carros que devem sair de linha, mas vai lá a Fiat e produz um punhado de unidades do carro.

O que se comenta em Betim (MG) é que na fábrica o carro só entra na linha de montagem quando surge uma encomenda, geralmente de frotistas e locadoras.

Seja como for, esse ano foram quase 3 mil Doblò vendidos no acumulado dos 11 meses de 2020. Um ano em que sua morte, mais uma vez, era aguardada. Só que aí veio a Fiat e, além de não encerrar a produção, ainda lança uma versão já configurada para ambulância e ressuscita o Doblò… Cargo!

Contudo, o futuro do minifurgão em 2021 é bastante incerto. Apesar de ser um projeto de 2001, que teve uma única atualização em 2009 e só é vendido com motor 1.8 – ou seja, está mais do que “pago” como costuma-se dizer na indústria -, a logística de manter o carro em produção não deixa de ser complexa.

3. Citroën C3 e Aircross

Para esses só falta a pá de cal. Os dois modelos praticamente sumiram das revendas da Citroën em 2020, apesar de a marca francesa garantir que ainda estão em linha. De janeiro a novembro foram apenas 942 unidades entregues do hatch.

Já o Aircross nem figura nos dados da Fenabrave (até março, não teria alcançado duas centenas de vendas). O que se fala é que depois da pandemia, o monovolume aventureiro nunca mais foi visto na fábrica de Porto Real (RJ).

O luto oficial dos dois, de qualquer modo, pode ser encomendado. A PSA já abre espaço na linha de produção para uma nova geração do C3, mais altinha e inspirada no modelo indiano de mesmo nome, e posteriormente para o crossover que usa o hatch como base e será inspirado no C3 XR que é vendido na China.

Oficialmente, o C3 continua à venda por aqui em duas versões, com preços a partir de R$ 62.790, e o Aircross, em opção única por R$ 79.990.

4. Honda Fit também deve sair de linha

Para os fãs de Honda e do compacto, é difícil encarar a realidade. Mas sejam fortes, porque o Fit está realmente em estágio terminal e está entre os carros que devem sair de linha em 2021. Não que o automóvel esteja mal das rodas: além da qualidade indiscutível, emplacou mais de 12 mil unidades em 11 meses de 2020. Acontece é que uma nova geração do Fit já foi lançada na Ásia e ela se transformou em um problemão para a Honda brasileira.

Primeiro, porque é um projeto caro, feito sobre uma plataforma moderna, eletrificada e repleta de tecnologias de condução semiautônoma. Ou seja, o Fit, que custa a partir de R$ 66.300 em uma versão manual e “pelada” hoje, ficaria ainda mais caro. O segundo ponto é o desenho. O japonês não é unanimidade em estilo e nem mesmo a versão chinesa – que tem visual diferente – agradou nas clínicas de mercado incipientes feitas aqui. Desta forma, fica difícil investir em uma categoria que perde força em relação aos SUVs compactos.

A alternativa mais viável para não abrir mão deste segmento também vem da Ásia, porém na forma de um City hatch. O modelo será lançado no segundo semestre logo após a estreia por aqui da terceira geração do sedã de mesmo nome, com motor turbo tricilíndrico, para ocupar a vaga que será deixada pelo Fit.

5. Chevrolet Cruze

O quinto dos carros que devem sair de linha em 2021 é o Cruze. Quando a matriz da General Motors avisou que ia deixar de produzir o modelo, em 2018, o alerta soou no Mercosul. Coreia do Sul e México também deixaram de fazer a linha média da Chevrolet em 2019/20. Mas aqui esperava-se um pouco mais de sobrevida. O problema é que as vendas da gama encolheram rapidamente.

O Cruze, que é o terceiro sedã médio mais vendido da categoria no Brasil e até encostava no vice-líder Civic em alguns períodos, hoje é só uma sombra do passado. Nos 11 primeiros meses de 2020, teve pouco mais de 8.700 unidades licenciadas. O Honda vende mais que o dobro e o Toyota Corolla, o quádruplo.

O Sport6, então, dá pena. Único representante de uma categoria inerte (hatches médios), só anotou 3 mil emplacamentos no período. A canibalização da linha com a chegada do novíssimo Tracker só fez acelerar a morte do Cruze, que deixará de ser produzido em Rosario (Argentina) e dará lugar na fábrica para uma picape médio-compacta que vai brigar com a Toro.

6. Volkswagen Up! é outro dos carros que devem sair de linha

O carro é bom, seguro, econômico e tem ótima dinâmica. Mas isso nunca se refletiu nas vendas do subcompacto. Além de roubar vendas do Gol – e tirá-lo da liderança histórica – sempre foi visto como um carro caro para o seu tamanho.

Sua morte foi dada como certa em 2020, o carro ficou na concessionária a base do estoque de 2019 para poder ser vendido já dentro da nova legislação que obriga os veículos a terem cintos de três pontos e encontros de cabeça para todos os ocupantes.

O sopro de vida veio no dia 24 de dezembro, com a linha 2021 do Up em versão única Xtreme e agora configurado para quatro passageiros para a VW economizar. Mas com pouco mais de 6 mil unidades vendidas em 11 meses, não deve chegar nem ao fim de 2021.

7. Fiat Grand Siena

A linha Fiat sempre tem umas mortes anunciadas, mas que são postergadas (Weekend, Idea, Doblò já citado…). Aqui temos o caso deste sedã. Lançado em 2012 como o sucessor do antigo Siena, com jeitão de carro chinês e bem mais espaçoso, gozou de sucesso no início. Mas aí chegou o Cronos para mudar a realidade e por o Grand Siena como forte candidato ao corredor da morte.

O três-volumes se desfez de versões e motores ao longo do tempo. Hoje, resiste em quatro configurações, com os velhos 1.0 e 1.4 Fire, e preços entre R$ 51.890 e R$ 58.090. A questão é que a rede Fiat é agressiva nas promoções e é fácil encontrar ofertas de Cronos por iniciais R$ 55 mil, com bom espaço, acabamento interno bem superior e motor 1.3 Firefly muito mais eficiente. Não é de se espantar que o Grand Siena tem 9 mil emplacamentos no acumulado dos 11 meses, enquanto o parente novato anotou mais de 14 mil.

8. Hyundai ix35

O oitavo dos carros que devem sair de linha em 2021 é esse velho utilitário esportivo que, verdade seja dita, vive do passado e de algum custo/benefício. Foi lançado em 2010 importado para se valer das boas vendas daquele primeiro Tucson mais quadradinho – lá fora ele mantinha o nome em muitos mercados. Passou a ser fabricado em Anápolis (GO) a partir de 2013, mas foi esquecido, ainda mais depois de o New Tucson (a terceira geração do SUV médio) ser feito por lá.

Vendido em uma solitária versão de acabamento por R$ 116.200, o ix35 somou 2.312 licenciamentos de janeiro a novembro e deve dar adeus em 2021. O Grupo Caoa já avisou que vai produzir novos SUVs na unidade goiana (além de modelos das linhas Chery Tiggo, o novo Tucson e mais um sedã da marca sul-coreana) e são poucas as chances do veterano carro sobreviver.

9. Chevrolet Montana

A gente só lembrou que a Montana ainda sobrevive no mercado brasileiro quando a General Motors anunciou que, na linha 2021, a picape compacta seria oferecida apenas em versão única. Mesmo assim, resistiu a 2020 com quase 6.300 modelos emplacados até novembro. Porém seu futuro é incerto no ano que vem e está entre os carros que devem sair de linha em 2021.

Isso porque a GM quer investir na picape médio-compacta que fará na Argentina sobre a base do Tracker para disputar mercado com a Fiat Toro. Nas internas da montadora, vale mais a pena tentar ser protagonista em um segmento promissor, do que insistir em ser figurante em uma categoria totalmente dominada pela Strada.

Bom sempre lembrar que essa segunda geração da Montana é um caso inusitado. A primeira picape de mesmo nome era feita sobre o Corsa II (de 2001). Essa substituta, além de se valer do controverso design do falecido Agile, é produzida sobre a plataforma do hatch de primeira geração, datado de 1994…

10. O último dos carros que vem sair de linha em 2021: Mitsubishi Outlander

O SUV médio até está em sua segunda geração, lançada em 2013, e passou por um face-lift dois anos depois. Mas depois disso está lá encostado na prateleira, sem a devida atenção. A chegada do Eclipse Cross acabou atraindo holofotes para um utilitário mais atual e barato, apesar do menor e com desenho controverso – e esvaziou as versões de entrada do Outlander.

As vendas também pouco empolgam. De janeiro a novembro de 2020, o Outlander assinalou pouco mais de 1.700 unidades comercializadas no país. Fica bem atrás do Eclipse e perde até nas vendas para a linha Pajero, mais cara. Pode engrossar a fileira dos carros que devem sair de linha em 2021.

Mostre mais
Fechar