Vacinação em SP começará no dia 25 mesmo se governo federal não acompanhar

O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, confirmou que a vacinação contra Covid-19 começa no próximo dia 25 de janeiro no estado, mesmo se o governo federal não conseguir iniciar a imunização em todo país na mesma data.

Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes na tarde desta sexta (8), para anúncio de alterações no Plano São Paulo, o secretário afirmou que mesmo após o governo federal assinar o contrato com o Instituto Butantan para a aquisição de até 100 milhões de doses da Coronavac, o estado tem a prerrogativa de vacinar a sua população, desde que seguidos todos os “ritos e normas previstos no Plano Nacional de Imunização”.

Isso só seria feito, segundo Gorinchteyn, após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovar o uso emergencial da vacina, que foi solicitado pelo pelo Butantan nesta quinta-feira (7) e levará até dez dias para ser analisado.

Se antecipar a imunização, o estado ainda terá de seguir as determinações do Ministério da Saúde, como respeito aos grupos prioritários que receberão as doses, como profissionais da saúde e idosos. Segundo o secretário, 77% dos leitos de UTI do estado para Covid ocupados são por pacientes com mais de mais de 60 anos.

Gorinchteyn ainda citou como exemplo a vacinação contra a gripe, cujo imunizante também é produzido pelo Instituto Butantan e adquirido pelo Ministério da Saúde, e cuja campanha já foi antecipada em São Paulo e outros estados.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, afirmou que “na melhor das hipóteses” a vacinação no país pode começar em 20 de janeiro. Ele ainda citou outros dois cenários, em que a imunização poderia ocorrer entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro ou ainda entre fim de fevereiro e meados de março, caso a produção tenha “qualquer percalço”.

Segundo Gorinchteyn, se o governo federal antecipar a vacinação para 20 de janeiro, São Paulo acompanhará o prazo.
O calendário paulista prevê a imunização de profissionais de saúde, pessoas com mais de 60 anos e grupos vulneráveis como indígenas e quilombolas, totalizando 9 milhões de pessoas.

A vacinação será escalonada para as duas aplicações da Coronavac, ambas gratuitas. O grupo profissionais de saúde/indígenas/quilombolas receberá sua primeira dose em 25 de janeiro e a segunda, em 15 de fevereiro.

Quem tem 75 anos ou mais, 8 de fevereiro e 1º de março. De 70 a 74 anos, 15 de fevereiro e 8 de março. De 65 a 69 anos, 22 de fevereiro e 15 de março. Por fim, de 60 a 64 anos, 1º de março e 22 de março.

Mostre mais
Fechar