‘VALEU A PENA’: Psicóloga de 73 anos que assinou termo para trabalhar na pandemia é vacinada contra Covid-19

A vontade de ajudar a salvar vidas é maior do que o medo que a psicóloga Vera Lúcia Pereira, de 73 anos, sente desde o início da pandemia de Covid-19. Mesmo sendo do grupo de risco de infecção pela doença, ela continuou tratando dos pacientes. Nesta quarta-feira (20), foi uma das primeiras profissionais de saúde vacinadas no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa.

Enquanto uma das funcionárias mais antigas do hospital, onde trabalha há mais de 30 anos, ela assinou um termo de compromisso para poder trabalhar. Imunizada, ela teve o empenho recompensado.

“Tenho 73 anos, com orgulho, ainda estou na ativa. Valeu a pena. Foram muitas lutas, muito desespero. A gente vendo a maioria dos colegas com Covid […]. Graças a Deus todos sobreviveram. E com a vacina então, é uma dádiva de Deus”, declarou.

Pelo menos 724 pessoas infectadas pelo novo coronavírus foram internadas até dezembro do ano passado no Hospital Clementino Fraga. Delas, 253 não resistiram às complicações da doença e morreram na unidade.

Na contramão das centenas de histórias interrompidas, 443 altas de pacientes foram celebradas pelos profissionais de saúde, vidas salvas pelo trabalho de uma equipe que colocou a própria vida em risco.

A Paraíba recebeu 114.846 mil doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19, na noite desta segunda-feira (18). A distribuição das vacinas começou de forma imediata para os 223 municípios paraibanos, conforme informou também o governador João Azevêdo.

As primeiras vacinas serão aplicadas em 54.689 paraibanos, representados por 42.925 trabalhadores de saúde, 10.432 indígenas aldeados, 1.212 pessoas idosas institucionalizadas e 120 pessoas com deficiência institucionalizadas.

Mostre mais
Fechar