VIOLÊNCIA NA ANGOLA: Líder do governo no Senado lamenta ataques contra religiosos brasileiros

O líder do governo no Senado, o senador Fernando Bezerra (MDB-PE), se posicionou, neste domingo (12), sobre os atos de violência praticados contras pastores da Igreja Universal em Angola, na África.

Bezerra lamentou a situação enfrentada pelos religiosos e cobrou das autoridades angolanas medidas para garantir a integridade e a segurança dos brasileiros e de suas família.

“Lamentamos as graves denúncias de atos de violência praticados contra líderes religiosos da Igreja Universal em Angola. Brasileiros que praticam a sua fé estão sendo covardemente atacados, o que exige um firme posicionamento do governo angolano para pôr fim a essa onda de violência e garantir a segurança dos pastores e suas famílias. A sociedade é global, e a convivência pacífica entre os povos é condição para a construção de um mundo mais justo e solidário”.

Nas últimas três semanas, pastores foram alvos de agressões físicas e psicológicas por parte de ex-membros expulsos da instituição. A situação de insegurança está sendo acompanhada pelas autoridades brasileiras.

No sábado (11), o ministro do STF Marco Aurélio Mello, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, o vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (Republicanos-SP) entre outros congressistas manifestaram apoio aos pastores.

Missão diplomática

O senador Major Olimpio (PSL-SP) encaminhou, na última sexta-feira (10), um pedido ao Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e ao  Senador Nelsinho Trad, presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal para a criação de uma comitiva parlamentar para ir a Angola acompanhar a situação.

Segundo o pedido protocolado pelo senador Major Olímpio, a missão diplomática contaria com o apoio da FAB (Força Aérea Brasileira), que ficaria responsável pela viagem até o país africano.

Mostre mais
Fechar